fbpx
HomeDestinosO que fazer em Trancoso: passeios e atrações

O que fazer em Trancoso: passeios e atrações

O que fazer em Trancoso: passeios e atrações

De moqueca a champanhe, de artesanato hippie a loja grifada, de piscina natural a beach club: saiba o que fazer em Trancoso, a Bahia de todos nós

Por Cristiane Sinatura

Praia em Trancoso

Fundado durante a catequização dos índios, Trancoso é um distrito de Porto Seguro – cujo aeroporto, a uma hora de carro, serve como porta de entrada. Mas, é no Quadrado, este grande gramadão no alto da falésia, cercado por casas coloridas dos anos 1970, que a vocação turística encontra a simplicidade da rotina.

Viajar para Trancoso, em geral, faz estalar nos olhos uma fila de cifrõezinhos. Mas não é bem assim. Principalmente na baixa temporada, é possível encontrar hospedagem com diárias a bons preços – e mesmo no fim do ano, pagar entre R$ 420 e R$ 580 é um achado.

Casas coloridas em Trancoso

As casas coloridas em Trancoso (foto: shutterstock)

Como se locomover em Trancoso

Trancoso é facilmente caminhável para quem se satisfaz com as areias próximas. Afinal, leva meia hora para ir a pé de Nativos até Rio Verde, por exemplo. No Quadrado, vale dizer, só entram pedestre e bike. Mas, se sua ideia é conhecer outras praias, estar de carro pode ser uma mão na roda. Isso porque muita gente aproveita para esticar até a Praia do Espelho (25 quilômetros) e Caraíva (37 quilômetros).

 

Alugue aqui o seu carro para ir a Trancoso, com os melhores preços

 

Entretanto, existem empresas turísticas que fazem esses passeios bate-volta – com a Trancoso Receptivo, sai desde R$ 100. Mas se for dirigir, atenção com a estrada, que é de terra e tem buracos. Portanto, na hora de alugar, considere um veículo mais robusto.

Praia do Espelho

Que tal dar uma esticada até a Praia do Espelho? (foto: shutterstock)

Além disso, o carro também agiliza a locomoção entre o aeroporto de Porto Seguro e Trancoso, que tem travessia de balsa (a partir de R$ 17); na opção de caminho que não cruza o rio, o deslocamento é maior (90 quilômetros), mas dispensa a fila. Aliás, outra alternativa é ir de transfer contratado diretamente com as pousadas ou de táxi. O valor para cada trecho é de R$ 230, mais ou menos.

Igreja de Trancoso

Igreja de Trancoso (foto: shutterstock)

Trancoso: Bahia de todos nós

No fim da tarde, a molecada joga bola entre duas traves tortas e, conforme a noite cai, barracas de artesanato vão surgindo e os turistas começam a bateção de perna em busca de um lugar para jantar. Não tem iluminação pública: velas nas mesas e lampadinhas penduradas nas árvores dão um toque romântico e charmoso aos restaurantes. Aliás, um único par de holofotes cria um jogo de luz e sombra nas paredes da igrejinha de São João Batista – do século 16, é das mais antigas do Brasil. Atrás dela, um mirante deixa ver o mar durante o dia.

Além disso, boa parte das casas do Quadrado agora dá lugar a restaurantes, lojas e pousadas. Tem desde tapioca para viagem até vitrine de grife, como Osklen e Lenny Niemeyer. Por lei, as construções não podem ser alteradas, apenas preservadas. E é isso que se vê no Uxua, um dos hotéis mais sofisticados de Trancoso.

Quarto do Uxua

Quarto do Uxua (foto: Fernando Lombardi)

Mas quem não tem cacife para bancar a diária mínima de R$ 1.500 pode conhecer o Uxua de duas formas mais acessíveis. Ou seja: a primeira delas é o restaurante inaugurado há dois verões no Quadrado, com cardápio que valoriza produtos frescos e regionais – vide a moqueca e a releitura do bobó de camarão.

 

Faça aqui a sua reserva no hotel Uxua

 

Ou então passando um dia no lounge do Uxua na Praia dos Coqueiros, onde um barco de pesca restaurado faz as vezes de bar. Quem não é hóspede pode ocupar um sofá pé na areia, com consumação mínima de R$ 50 na baixa temporada (maio a julho).

Hotel Uxua (foto: Fernando Lombardi)

Interior do hotel Uxua (foto: Fernando Lombardi)

As praias e os passeios

Trancoso é famosa pelos beach clubs com DJ e espumante, sobretudo na alta temporada. Aliás, o fervo vai do réveillon até o carnaval. Portanto, quem quiser tranquilidade, pode vir em quaisquer outros meses  (sabendo que, de março a maio, é a época das chuvas).

Aberto apenas no verão, o Cafe de la Musique traz ares de balneário europeu à Praia dos Coqueiros, a mais próxima do Quadrado. É nessa faixa de areia – extensa quando a maré recua e forma piscinas naturais – que se concentram as barracas de praia.

Café de la Musique

Cafe de la Musique (foto: divulgação/Turismo de Porto Seguro)

Nem todas com a mesma pompa do Cafe de La Musique: rústicas e ajeitadinhas, elas espalham mesas, cadeiras, espreguiçadeiras e guarda-sóis à beira d’água, em clima despretensioso. Mas, fica o aviso: muitas cobram taxa de consumação mínima para passar o dia, cujo valor varia de acordo com a época do ano.

A Barraca do Jonas está entre as mais famosas e tem até rede de balanço em sua área coberta, onde se comem peixe e camarão de todos os jeitos: na moqueca, na moranga, na chapa, no bobó, na telha… Certamente uma delícia.

Na ponta esquerda, pouco depois do bar do Uxua, o Rio Trancoso marca a fronteira com a praia vizinha, a dos Nativos. Logo ali está o Fly Club, outro beach bar com música alta para badalar no verão ou camas pé na areia para ficar à toa nos meses mais calmo. Quando a consumação é de R$ 80 por pessoa. O cardápio tem pratos do dia e porções interessantes – o ceviche anda em voga por essas bandas. Seguindo em frente, encontram-se as pousadas de frente para o mar, como Estrela d’Água, Villas de Trancoso, Rio da Barra e Tangará, além do Club Med.

Praia dos Nativos

Praia dos Nativos (foto: shutterstock)

 

Busque seu hotel em Trancoso



Booking.com

 

Praias menos badaladas

Já do lado direito da Praia dos Coqueiros, está a praia de Rio Verde. Certamente a mais sossegada de Trancoso – os grupos de excursão vindos de Porto Seguro não chegam até aqui. Faz sucesso o bar da pousada Bahia Bonita, onde a celebridade fitness Gabriela Pugliesi se casou em abril.

Depois, já mais afastadas, vêm Itapororoca e Itaquena – aonde se pode chegar em passeios de quadriciclo ou bicicleta, passando por estradinhas de terra, trechos de Mata Atlântica, fazendas de búfalos, areia e restinga. É de misturinhas boas assim que se faz a democrática Trancoso.

Praia em Trancoso

Praia em Trancoso (foto: Tayse Argôlo – Setur Bahia)

Além do quadriciclo e da bike, outras atividades muito comuns nas praias de Trancoso são o stand up paddle, o caiaque, o banana boat e a cavalgada na areia. Várias pousadas providenciam os serviços e também há a agência Trancoso Receptivo, no Quadrado – os preços começam em R$ 200.

Artesanato indígena em Trancoso

Artesanato indígena em Trancoso (foto: Tayse Argôlo – Setur Bahia)

Onde comer em Trancoso: restaurantes 

Silvana & Cia
Considerado o primeiro restaurante do Quadrado, está na ativa desde 1981, servindo clássicos como a moqueca e o imperdível peixe na folha de bananeira. Aliás, tem também uma “filial” na Praia dos Coqueiros.

Canto do Quadrado
Ocupando uma das primeiras casas da área, um casal de brasileiro com francesa recebe visitantes em sua hospedaria e serve pizzas de massa fina ao ar livre.

Uxua
Antigas casas de pescadores foram convertidas em um dos hotéis mais sofisticados de Trancoso. O restaurante serve releituras de clássicos baianos.

Restaurante do hotel Uxua

Restaurante do hotel Uxua (foto: divulgação/Uxua)

Jacaré do Brasil
Não tem o charme das luzinhas do Quadrado, mas compensa com o combo decoração cuidadosa + drinques criativos + entradas (vá de polvo!) + massas artesanais.

 La Cevicheria
A cinco minutos a pé do burburinho, os ceviches aqui aparecem em quatro versões, junto com outras especialidades peruanas: o lomo saltado (carne em tiras) e a causa (à base de batata), por exemplo. Para beber, pisco sour.

 

Leia também:

Santa Cruz Cabrália: a Bahia que encantou os alemães

Abrolhos: como visitar o paraíso do mergulho na Bahia

5 fazendas de cacau para visitar na Bahia

Prado + Cumuruxatiba: as melhores praias no sul da Bahia

O que fazer na Península de Maraú, no sul da Bahia