fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosBrasil35 experiências na Paraíba

35 experiências na Paraíba

35 experiências na Paraíba

Conheça as principais atrações no estado da Paraíba

Por Cristiane Sinatura, João Brunhara e Karina Cedeño

Você sabia que a Viajar tem grupos gratuitos no WhatsApp e Telegram com dicas, serviços e muitas promoções de destinos no Brasil e no Mundo?
Faça parte desse grupo e comece a planejar a sua próxima viagem!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

A localização privilegiada da Paraíba no Nordeste coloca a capital, João Pessoa, no ponto mais oriental de todo o continente americano. Isso quer dizer que o sol aqui nasce mais cedo, com garantia de céu limpo praticamente o ano inteiro. A cidade, conhecida carinhosamente como Jampa, também é considerada a mais arborizada da América do Sul, fazendo uma bela introdução aos demais tesouros paraibanos, que vão do litoral banhado pelo mar esverdeado (como as praias de Conde e Cabedelo) à maior festa de São João do mundo, em Campina Grande, já no Agreste. No interior do estado, fica também um dos mais importantes sítios de paleontologia do Brasil – o Vale dos Dinossauros, na região da cidade de Sousa, que preserva várias pegadas dos extintos répteis gigantes. E tem ainda a Região do Brejo, com muitos atrativos históricos e culturais em cidades como Areia, Bananeiras, Pilões, Guarariba e Borborema.

1. Passear no Centro de João Pessoa

Como terceira cidade mais antiga do Brasil, fundada em 1585, João Pessoa tem muitos pontos interessantes em seu Centro Histórico. Além da Igreja de São Francisco, a mais importante construção barroca da Paraíba, vale passar pela Praça Antenor Navarro (com casario colorido do início do século 20), pelo Hotel Globo (de 1928 e atual centro de informações turísticas), pelo Mosteiro de São Bento (em estilo barroco beneditino do século 17) e pela Igreja de Nossa Senhora do Carmo (de 1592).

2. Visitar o Centro Cultural S. Francisco

No Centro Histórico de João Pessoa, está um dos mais importantes complexos barrocos do país. Ele é formado pela Igreja de São Francisco e pelo Convento de Santo Antônio, além de algumas capelas e do claustro. O conjunto do século 16 emociona com os acabamentos em talha de madeira recobertas de ouro e cantarias de pedra com motivos portugueses e orientais. A Paixão de Cristo é narrada em painéis formados por azulejos portugueses.

3. Explorar a Estação Cabo Branco

Na capital paraibana, o futurista complexo desenhado por Oscar Niemeyer abriga um centro cultural com exposições de ciência, arte e cultura. Ali, fica o Museu de Ciência, onde adultos e crianças aprendem de forma interativa em um planetário inflável, no laboratório de robótica e em diversos experimentos espalhados pelos jardins do complexo. Imperdível a vista da Torre Mirante para a orla de João Pessoa.

Desenhado por Oscar Niemeyer

Estação Cabo Branco (foto: shutterstock)

4. Emocionar-se com o Bolero de Ravel

O cair da tarde é a coisa mais linda na Praia do Jacaré, situada na cidade de Cabedelo. Da orla ou de barcos no Rio Paraíba, é pura emoção acompanhar a apresentação do saxofonista Jurandy do Sax, que vai a bordo de uma canoa tocando o clássico Bolero de Ravel. A performance acontece desde 2000, e o músico já foi convidado até para tocar saxofone em Paris, em eventos da Fifa e em muitos programas de TV. A 17 km de João Pessoa.

5. Ver os melhores shows no Fest Verão

Todos os anos, em janeiro, o festival de música toma a Praia de Intermares, em Cabedelo, com dois palcos, camarotes, tendas eletrônicas e praça de alimentação. Durante três sábados, grandes nomes da música nacional se apresentam para milhares de pessoas, incluindo Wesley Safadão, Bell Marques, Bruno e Marrone e Barões da Pisadinha. A 17 km de João Pessoa.

6. Nadar nas piscinas naturais do Seixas

A costa de João Pessoa é salpicada de piscinas naturais, como as do Seixas, que são as mais orientais das Américas. Os catamarãs saem da Praia da Penha e navegam por 800 metros até as piscinas, cuja profundidade varia entre um e três metros. Máscaras e snorkels podem ser alugados para ver os peixinhos embaixo d’água.

7. Divertir-se com a Folia de Rua

Na semana que precede o carnaval, a Folia de Rua faz um aquecimento animado, com diversos blocos desfilando por João Pessoa, como o Muriçocas do Miramar, Muriçoquinhas, Cafuçu, Virgens de Tambaú e Viúvas da Torre.

8. Se jogar no Carnaval Tradição

A Avenida Duarte da Silveira, em João Pessoa, vira palco para os desfiles carnavalescos, que, além das tradicionais escolas de samba, têm ainda categorias específicas para tribos indígenas, clubes de orquestra e as famosas alas ursas. Os vencedores voltam a desfilar no sábado após o carnaval.

9. Passar pela Pedra Furada, na Praia do Amor

O cenário paradisíaco e tranquilo desta praia, pertencente à cidade do Conde, é perfeito para casais. Além da beleza, ali fica a famosa Pedra Furada, um arco rochoso à beira do mar esverdeado: diz a lenda que passar por baixo dessa formação garante felicidade na vida amorosa! A 31 km de João Pessoa.

10. Navegar até a Ilha de Areia Vermelha

Saindo da orla de João Pessoa, os passeios de catamarã levam até a Ilha de Areia Vermelha, que fica a 1,5 km da costa, em uma área de preservação ambiental. O nome vem dos bancos de areia avermelhados, que surgem rodeados por recifes de corais e piscinas naturais na maré baixa. É uma delícia nadar ali, na água bem morninha e rasa!

João Pessoa, Paraíba

Ilha de Areia Vermelha (foto: shutterstock)

11. Relaxar na Praia Bela

No Litoral Sul, o encontro do Rio Mucatu com o mar rende um belo cenário na cidade de Pitimbu, já na divisa com Pernambuco. Uma faixa de areia separa água doce da salgada e, dentro da piscina natural formada pelo rio, rasa e morna, tem até mesas montadas pelos bares, para tomar um drinque e petiscar enquanto você se refresca. Atividades náuticas, como caiaque e stand up paddle, são muito populares. Para apreciar a paisagem, os mirantes revelam as falésias que se debruçam sobre o mar. A 50 km de João Pessoa.

12. Escalar a Pedra da Boca

A cidade de Araruna é conhecida como a terra do ecoturismo, graças ao Parque Estadual da Pedra da Boca, um afloramento rochoso cercado por belas paisagens naturais e sítios arqueológicos com inscrições rupestres. É possível escalar até o topo da pedra, a mais de 330 metros de altura, contando com o auxílio de cordas em alguns trechos. Lá no alto, a atração conhecida como pêndulo garante mais doses de adrenalina para os corajosos, lançando-os, presos a um cabo, sobre o “abismo”. Além disso, a prática do voo livre encontra ares férteis em Araruna, que ca já na fronteira com o Rio Grande do Norte – muitos praticantes já chegaram a voar dali até o Ceará e o Piauí. Os cânions Macapá e da Serra Verde completam o rol de atividades. A 50 km de João Pessoa.

13. Experimentar o naturismo em Tambaba

A única praia naturista do Nordeste fica na cidade do Conde, rodeada por falésias e piscinas naturais. Uma área isolada da praia é reservada para adeptos da prática, que devem seguir regras para manter a discrição e o respeito. Fotografar ou filmar, por exemplo, é proibido, e homens desacompanhados não podem entrar. Atos sexuais também não são tolerados. Em resumo: é para curtir a praia livre, leve e solto, mas sempre com muito respeito. A 43 km de João Pessoa.

14. Aproveitar o dia na Barra do Abiaí

É uma delícia passar o dia curtindo a estrutura do Parrachos Praia Clube, à beira das águas calmas do Rio Abiaí, na cidade de Pitimbu. A partir dali, saem os passeios de catamarã, que incluem parada para caminhar no mangue, tomar banho de rio e degustar a gastronomia local, como a peixada. Outra opção de passeio vai a bordo de um antigo caminhão militar, que percorre trechos dentro da Mata Atlântica e leva os visitantes para conhecer um pouco da cultura indígena. A 55 km de João Pessoa.

15. Intrigar-se com a Pedra do Ingá

A cidade sertaneja de Ingá abriga um curioso sítio arqueológico, que protege a enorme pedra conhecida como itacoatiara. Nela, estão entalhadas inscrições rupestres, que até hoje não foram decifradas. Alguns desenhos sugerem formas humanas, de frutas ou de constelações, mas também há padrões abstratos. Apesar de não confirmadas, as evidências associam a autoria dos painéis a grupos seminômades que viveram ali há cerca de 6 mil anos. Mas há também quem acredite se tratarem de obras feitas pelos fenícios ou mesmo por alienígenas! No Museu de História Natural que fica no sítio, estão expostos utensílios e fósseis encontrados na região, como os de uma preguiça-gigante. A 100 km de João Pessoa.

Cidade sertaneja do Ingá

Pedra do Ingá (foto: shutterstock)

16. Encantar-se com a Igreja da Guia

Na cidade de Lucena, no final do século 16, os carmelitas fundaram, na mesma colina da atual igreja, uma capela para catequizar os índios. Vigiando a foz do Rio do Paraíba, o templo atual é do século 18 e foi dedicado à padroeira dos navegantes. Apesar da fachada e das torres inacabadas, o projeto arquitetônico se destaca pelos elementos decorativos talhados em pedra calcária, até mesmo no altar – único do período barroco brasileiro a ser esculpido em pedra. A 47 km de João Pessoa.

17. Flutuar no mangue em Barra de Camaratuba

Barra de Camaratuba, que fica na cidade de Mataraca, é a última praia da Paraíba, já na fronteira com o Rio Grande do Norte. Nesse cenário preservado e exuberante, fica o Parque Ecológico do Caranguejo Uçá, criado para promover a preservação dessa espécie de crustáceo e os mangues onde ela habita. Os grandes atrativos são as trilhas guiadas, algumas incluindo flutuação sobre boias pelos canais do manguezal, o quadriciclo até a Barra do Rio Guandu e a prática de surfe ou kitesurfe. A 107 km de João Pessoa.

18. Percorrer a Rota Cultural Caminhos do Frio

Está enganado quem pensa que no Nordeste só faz frio. A Serra da Borborema, a 550 metros de altitude, garante um friozinho gostoso, na casa dos 12ºC, em cidades como Areia, Pilões, Remígio, Solânea, Serraria, Bananeiras, Matinhas, Alagoa Nova e Alagoa Grande. Em julho e agosto, essas cidades sediam a Rota Cultural Caminhos do Rio, com programação cultural de música, artes cênicas, gastronomia, trilhas e experiências únicas nos engenhos e demais atrativos locais. A 130 km de João Pessoa.

19. Visitar o Memorial Jackson do Pandeiro

O músico paraibano, conhecido como Rei do Ritmo, fez sucesso a partir dos anos 1940 em gêneros como baião, xote e xaxado. Em sua terra natal, Alagoa Grande, um casarão do século 19 sedia um memorial, que reúne discos, imagens, figurinos e documentos. Até mesmo o portal da cidade, em forma de pandeiro, presta uma homenagem ao ritmista. A 110 km de João Pessoa.

20. Navegar pelo Rio do Gozo

Situada no Litoral Norte, a cidade de Baía da Traição, além de ter algumas das praias mais badaladas da Paraíba, também reserva passeios interessantes, como o Rio do Gozo, sagrado entre os nativos indígenas da Aldeia Tracoeira. Há vários pontos para banho espalhados pela região. Visitar as ruínas da Igreja São Miguel também é imperdível. A 83 km de João Pessoa.

21. Fazer a Travessia dos Matacões

A trilha pela Área de Proteção Ambiental do Cariri, em Cabaceiras, percorre 15 km, começando pelo Lajedo Samambaia, o maior da América Latina. Ao longo do trajeto, é possível ver pinturas rupestres. A 190 km de João Pessoa.

22. Dançar forró no São João de Bananeiras

Além de Campina Grande, as tradições juninas na Paraíba também estão muito bem representadas na cidade de Bananeiras, no Brejo, que tem apresentações culturais e muito forró pé de serra. Um dos cenários para a festança é o Túnel do Trem, de 1922, que se transforma no Salão de Forró. A 127 km de João Pessoa.

23. Conhecer o Lajedo de Pai Mateus

Na região do Cariri Paraibano, a cidade de Cabaceiras é famosa por sua cultura cinematográfica e também é base para explorar o Lajedo de Pai Mateus, uma elevação rochosa de 1 km², no formato de um “prato de sopa” invertido. Sobre ele, estão dispostos cerca de 100 imensos blocos arredondados de granito, alguns com quatro metros de altura. Para ver as formações de perto, é preciso pagar uma taxa e ter acompanhamento de um guia do hotel Fazenda Pai Mateus, que administra o parque onde se situa o lajedo. A 197 km de João Pessoa.

24. Curtir o Maior São João do Brasil

Durante todo o mês de junho, Campina Grande, a segunda maior cidade da Paraíba, vira palco para o Maior São João do Mundo. É o autêntico arraial nordestino, com forró, quadrilhas e comidas típicas de festa junina, que acontecem no Parque do Povo, onde uma cidade cenográfica recria a Campina Grande do século 18. A 127 km de João Pessoa.

Maior São João do Mundo

São João (foto: shutterstock)

25. Conhecer Cabaceiras, a “Roliúde Nordestina”

A cidade de Cabaceiras, no Cariri, já foi cenário para cerca de 25 filmes, incluindo O Auto da Compadecida e Cinema, Aspirinas e Urubus. Por isso, é conhecida como “Roliúde Nordestina”, em referência a Hollywood – a cidade tem, até mesmo, um letreiro branco com seu apelido. Para celebrar esse legado, foi inaugurado em 2007 o Memorial Cinematográfico de Cabaceiras, com fotos e objetos relacionados aos filmes feitos ali. A 190 km de João Pessoa.

26. Comprar renda renascença na Região do Cariri

A tradição da renda renascença passa de mãe para lha na Região do Cariri. Ali, cerca de 3 mil mulheres preservam o valioso ofício, que tem até Indicação Geográfica, associando a origem e a qualidade dessa técnica têxtil a cidades como Camalaú, São João do Tigre, São Sebastião de Umbuzeiro, Zabelê e Monteiro – nessa última, está em construção um Centro de Referência do Artesanato. A renda renascença, que teve origem em Veneza, na Itália, é feita com linha e lacê, uma ta na que sustenta a trama tecida com os diferentes pontos feitos sobre um desenho de papel, apoiado em uma almofada de tecido. A 290 km de João Pessoa.

27. Testemunhar pegadas fossilizadas no Vale dos Dinossauros

No Sertão paraibano, a cidade de Sousa é destino certo para os acionados pelo mundo dos dinos. De visitação gratuita, o parque Vale dos Dinossauros reúne vários sítios paleontológicos, onde estão preservadas pegadas dos répteis gigantes que habitaram a região, há 165 milhões de anos. Além de percorrer as trilhas sinalizadas para ver os vestígios, o visitante também aprende bastante no museu, que expõe fatos e curiosidades sobre as espécies responsáveis pelas pegadas. A 429 km de João Pessoa.

28. Pedalar em Gramame

A Rota Vale do Gramame de Cicloturismo é um passeio guiado de nível intermediário, que percorre pontos turísticos de João Pessoa ao longo de 64 quilômetros. Partindo da Praia do Cabo Branco, a pedalada passa pelo farol no ponto mais oriental das Américas e pelas matas e rios de Barra de Gramame. Visitas a comunidades quilombolas e ribeirinhas, passeio de canoa e gastronomia regional recheiam o roteiro.

29. Provar a peteca de Bananeiras

A cidade de Bananeiras, no Brejo Paraibano, é expert nesta sobremesa imperdível, que consiste em uma massa frita à base de banana, trigo, leite e ovos. Na finalização, vão açúcar e canela. Fica uma delícia com sorvete ou mel de engenho. Como já diz o nome do município, banana é o que não falta por ali e, antigamente, o doce costumava ser vendido de porta em porta.

30. Entender o porquê do apelido “Caribessa”

Originalmente, o nome é Praia do Bessa. Mas o trocadilho com “Caribe” faz todo sentido quando você se depara, no Litoral Norte de João Pessoa, com o cenário de areia branca e águas verdinhas, que chegam a quase 28 oC. Ali é possível praticar ou aprender esportes como kitesurfe ou surfe, além de fazer passeios de stand up paddle e caiaque.

31. Comer arrumadinho

O nome simpático desta receita típica tem a ver com a forma como ela chega à mesa: macaxeira, charque, vinagrete, farofa e feijão verde organizados lado a lado, em um mesmo prato. O toque final fica por conta da manteiga de garrafa. O arrumadinho é muito popular na festa do Maior São João do Mundo, em Campina Grande, e também considerado um Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da Paraíba.

32. Encantar-se com o cordel

O cordel marca presença na Paraíba, sendo uma das mais antigas formas de literatura popular do Brasil. Os folhetos trazem versos humorísticos sobre temas corriqueiros e são ilustrados com xilogravuras. Podem também ser divulgados pelos cantadores (violeiros ou repentistas). A cidade de Teixeira é reconhecida como berço de alguns dos mais famosos poetas de cordel, nascidos na segunda metade do século 19. Já o chamado “pai do cordel”, Leandro Gomes de Barros, era natural da cidade de Pombal. Atualmente, cordelistas honram esse rico patrimônio na Academia de Cordel do Vale do Paraíba, que promove eventos em João Pessoa e outras cidades.

Xilogravuras

Cordel (foto: shutterstock)

33. Esbaldar-se com frutos do mar

No litoral da Paraíba, brilham as receitas à base de frutos do mar e peixes, que abastecem os restaurantes especializados da capital e região. Camarões, lagostas e caranguejos são as grandes estrelas de diversas preparações. A agulhinha frita também é sucesso garantido, assim como a peixada com leite de coco, que, na Paraíba, ganha um toque extra com ovo cozido.

34. Tomar Xixi de Cabrita

Ninguém sabe ao certo a receita completa do famoso licor da cidade de Cabaceiras, onde o bode é onipresente. Mas pode ficar tranquilo porque, apesar do nome, não tem nada de urina: a base da bebida é feita com leite de cabra, aguardente e baunilha. Afrodisíaca, ela é uma das grandes atrações da Festa do Bode Rei, festival que celebra a caprinocultura no Cariri Paraibano, todos os anos, em junho.

35. Fazer a Rota Caminho dos Engenhos

Entre os maiores produtores de cachaça no Brasil, o estado da Paraíba soma cerca de 80 alambiques artesanais, sobretudo na região do Brejo, com destaque para as cidades de Areia (onde ca o Museu da Rapadura) e Alagoa Grande. Além de ser apreciada pura, a cachaça paraibana ganha ainda mais graça com frutas locais, como o caju, a seriguela e a pitanga. Existe até mesmo a Rota Caminho dos Engenhos, que reúne vários engenhos abertos à visitação, como o Triunfo, o Vaca Brava e o Lagoa Verde.

 

CAPITAL: João Pessoa

NAS REDES: destinoparaiba.pb.gov.br, @destinoparaiba

MELHOR ÉPOCA: No litoral, as temperaturas chegam a 28 °C no inverno e 32 °C no verão, sendo os meses de setembro a dezembro os mais secos. A água do mar fica entre 26 °C e 28 °C. No interior, onde também faz muito calor, chove bem menos, com maior concentração entre fevereiro e abril.

COMO CHEGAR: Pelo Aeroporto Internacional de João Pessoa/Presidente Castro Pinto (JPA)

ONDE FICAR REGIÃO DE JOÃO PESSOA

Netuanah: De frente para a Praia de Cabo Branco, a piscina tem vista para o mar. Os quartos são simples, mas confortáveis. Diárias a partir de R$ 325.

Nord Luxxor Tambaú: A piscina climatizada no terraço panorâmico é um dos destaques, assim como o restaurante do hotel, focado em culinária brasileira, com delícias como o Camarão Tamarindo. Para as famílias, o espaço kids é uma mão na roda. Diárias a partir de R$ 485.

Atlântico Praia Hotel: Na área de lazer, há piscinas para adultos e crianças, além de hidromassagem e sauna. Vale conhecer o restaurante no lobby do hotel, especializado em culinária italiana. Tudo isso com vista para a Praia de Tambaú. Diárias a partir de R$ 254.

Pousada Aruanã: No município de Conde, vizinho à capital, a pousada é repleta de opções de lazer, incluindo aquático adulto e infantil, vôlei de praia, salão de jogos, academia, restaurante com adega climatizada e piscina com bar. Para a tranquilidade e diversão das famílias, tem playground, brinquedoteca e cozinha para bebês. A Praia de Carapibus fica logo em frente. Diárias a partir de R$ 395.

 

Guias completos, com conteúdo inédito e produzido por um time de especialistas. Conheça nosso app e aproveite para planejar a sua próxima viagem. Clique aqui!

 

Leia também:

35 experiências no Rio Grande do Norte

Conheça o Projeto Nordeste Arretado

140 experiências para curtir no Nordeste

35 experiências em Alagoas

35 experiências em Pernambuco

Que tal transformar o seu cartão de crédito em uma verdadeira fábrica de milhas?
Se você gasta pelo menos R$ 3.000,00 por mês no cartão de crédito e não consegue emitir um bilhete por ano para os EUA com as suas milhas acumuladas, acredite, você não sabe usar o cartão de crédito a seu favor.
Quero te convidar a se tornar especialista no assunto. Aprenda a viajar de graça, entrar em salas vips ao redor do mundo sem pagar nada e fabricar milhas com o nosso time de especialistas. Chegou a hora de você virar o jogo e parar de dar dinheiro aos bancos.

Saiba como viajar de graça e sem enrolação!