fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosAmérica do NorteToronto: o mundo em uma cidade

Toronto: o mundo em uma cidade

Toronto: o mundo em uma cidade

A capital canadense Toronto é o ponto de partida para explorar o país

Por Débora Costa e Silva

Você sabia que a Viajar tem grupos gratuitos no WhatsApp e Telegram com dicas, serviços e muitas promoções de destinos no Brasil e no Mundo?
Faça parte desse grupo e comece a planejar a sua próxima viagem!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

Toronto serve como porta de entrada e já dá aquele primeiro gostinho da diversidade que marca o Canadá. São 7 milhões de habitantes, sendo que mais de 50% de sua população é composta por não canadenses. Inclusive, estima-se que cerca de 130 idiomas são falados na cidade.

Cosmopolita, Toronto é frequentemente comparada a Nova York. Afinal, uma de suas praças principais, a Dundas Square, lembra a famosa Times Square. Isso porque, além de seus outdoors luminosos, há gente do mundo todo circulando por ali. É o centro financeiro do país, com arranha-céus, grandes marcas internacionais. Há também um prédio, o Gooderham Building, que lembra o famoso Flatiron nova-iorquino. Nas proximidades, está o shopping mais popular da cidade, o Eaton Centre, com lojas clássicas como Apple, GAP, H&M…

Por ali, o gostinho de Estados Unidos fica ainda mais forte no Jazz Bistro. A influência americana é escancarada, mas quem se importa quando os hambúrgueres são deliciosos e a banda de jazz é sensacional? Sem dúvida, a maior vantagem de estar em Toronto é se conectar com qualquer lugar do mundo, seja pela cultura ou pela culinária.

Imperdíveis em Toronto

Desvendando Toronto a partir de seus ícones, siga, em primeiro lugar, para o Distillery District. A região abrigava uma antiga destilaria de uísque que fechou no início dos anos 1990. Após quase dez anos, reabriu em 2001 como uma vila restrita a pedestres. Os antigos galpões onde produziam a bebida abrigam hoje mais de 70 cafés, lojas e restaurantes. Além disso, esculturas e eventos culturais ocupam os espaços externos de acordo com a época do ano.

Em seguida, separe uma manhã ou uma tarde para explorar o distrito com calma. Vale entrar nas galerias e se perder nas lojinhas charmosas de cosméticos, artigos de decoração, roupas e acessórios. Ou então, você pode degustar os doces preparados pela chocolateria SOMA e as cervejas orgânicas de sabores variados da Mill St. Por fim, a dica é fazer uma refeição no Cluny Bistro, cujas decoração e culinária inspiradas na França elevam a experiência para outro nível. O prato com salmão com couve-de-bruxelas é uma das preciosidades da casa. Aliás, o peixe é um dos destaques da gastronomia canadense.

Acima da CN Tower, o Edge Walk possibilita uma vista incrível da cidade (foto: divulgação/CN Tower)

Acima da CN Tower, o Edge Walk possibilita uma vista incrível da cidade (foto: divulgação/CN Tower)

Toronto nas alturas

Outro clássico de Toronto é a CN Tower, a atração mais famosa e que jamais passa despercebida no horizonte da cidade. A 553 metros de altura, a construção oferece a mais bela (e alta) vista da metrópole. Além do observatório, o local ainda conta com outros atrativos, como por exemplo o elevador com vista externa, que sobe a toda velocidade, painéis que contam a história do monumento, uma área com piso transparente para ver a cidade lá embaixo e um restaurante 360º giratório, que possibilita a visão de todos os pontos da cidade. Apesar de girar bem devagar, quem for mais sensível a movimentos durante as refeições pode sofrer um pouco.

Quem procura mais emoção e quer se sentir no topo de Toronto deve considerar o EdgeWalk, uma caminhada pela borda da CN Tower. Presos por cabos de aço, os mais aventureiros não se arrependem de sentir essa adrenalina do alto de um cartão-postal. Nem de fazer poses engraçadinhas para as fotos enquanto estão pendurados, inclusive.

Aos pés da torre, estique até o Ripley’s Aquarium, com 16 mil animais, túnel de vidro submerso e tanques interativos. Vizinho, o estádio Rogers Centre sedia partidas de beisebol, futebol americano, é palco de shows e ainda esnoba com seu teto retrátil.

Assim como a torre, o Ripley's Aquarium é mais uma das atrações imperdíveis de Toronto (foto: divulgação/Ripley's Aquarium)

Assim como a torre, o Ripley’s Aquarium é mais uma das atrações imperdíveis de Toronto (foto: divulgação/Ripley’s Aquarium)

Só glamour

Yorkville, que nos anos 1960 chegou a ser um reduto hippie, hoje em dia abriga lojas de alto padrão e virou parada obrigatória para “shopaholics”. Prada, Gucci, Cartier, Louis Vuitton e tantas outras grifes, bem como butiques canadenses, estão instaladas nas charmosas ruas e vielas do bairro.

Yorkville tem despontado nos últimos anos como o bairro da moda, chamando a atenção de turistas e investidores. O shopping Yorkville Village, por exemplo, conta com dezenas de lojas e promove exposições de arte e eventos abertos ao público.

Além das galerias de arte, restaurantes e bares, hotéis luxuosos como o The Hazelton Hotel, Four Seasons e o Intercontinental dão ainda mais peso ao bairro. Este último, com acomodações requintadas e um café da manhã dos sonhos, ainda conta com uma das melhores localizações de Toronto. O hotel-butique fica na Bloor Street, quase em frente ao Royal Ontario Museum, um dos museus mais importantes da cidade por seu acervo e sua arquitetura ousada. No interior, estão mais de 6 milhões de objetos de antiguidades, artes e história natural. O destaque fica para os fósseis de dinossauros e as peças de Roma e do Egito antigos.

A duas quadras dali está o Bata Shoe Museum, que apesar de ser bem menos conhecido, chama a atenção pela originalidade. Afinal, sua especialidade, como o próprio nome já revela, são sapatos. Em um tour de meia hora, você conhece toda a trajetória dos calçados ao longo dos séculos, de acordo com diversas épocas e culturas. De quebra, ainda vê de perto modelos que fizeram história nos pés de celebridades, como Marilyn Monroe, e até o sapatinho de cristal da Cinderela.

Além das aventuras, Toronto também conta com diversas opções de museus, como o Royal Ontario (foto: Paulo Mancha)

Além das aventuras, Toronto também conta com diversas opções de museus, como o Royal Ontario (foto: Paulo Mancha)

Arte

No entanto, para uma verdadeira imersão nas artes, o lugar ideal é o AGO (Art Gallery of Ontario). Logo de cara, ele já causa impacto pela arquitetura arrojada. Com projeto assinado pelo aclamado arquiteto canadense Frank Gehry, o edifício foi repaginado e reaberto em 2008. Por fora, a extensa fachada envidraçada reflete o céu e a movimentação na rua. Tudo isso sem revelar as estruturas de madeira maciça em formas geométricas que estão por trás do vidro e podem ser vistas de dentro do museu. Assim que entrar, não deixe de ver (e fotografar) a escadaria em espiral feita de madeira, também assinada por Gehry.

Transitando pelas inúmeras salas temáticas, ocupadas por esculturas, instalações e pinturas, a riqueza do acervo, com mais de 80 mil peças, encanta. O ponto alto da visita foi a exposição temporária Mystical Landscapes, que reúne paisagens e experiências místicas em obras de 36 artistas, como Claude Monet e Van Gogh, por exemplo.

 

Assine a Revista Viajar pelo Mundo com preço especial e receba 12 exemplares em sua casa. Conteúdo produzido por jornalistas especialistas e que viajaram até os destinos. Clique aqui!

 

A cidade e o lago

Em geral, existe um fator comum que unifica cidades com boa qualidade de vida: água. Parece que um rio, um lago ou o mar emanam uma energia gostosa, animada. Não é diferente em Toronto, onde o protagonista é o Lago Ontário, um imenso espelho d’água que nos brinda com praias de areia.

Desembocando na água, o distrito financeiro, ao sul da Yonge-Dundas Square, pode fazer você pensar, outra vez, que está em Nova York. Mas a impressão passa logo ao se deparar com uma atração mais canadense impossível: o Hockey Hall of Fame. Certamente, o hóquei, paixão nacional, tem um museu todinho seu, que funciona também como hall da fama. Seu acervo conta a história do esporte, além de homenagear jogadores e times.

Não muito longe dali, Toronto quer mostrar que não, nem só de poutine se faz a cozinha canadense. Não que as gordas batatas fritas regadas a molho de carne e salpicadas de queijo careçam de valor, entretanto, é a comida fresca, orgânica e local que brilha no St. Lawrence Market, a atração mais suculenta do pedaço.

Um passeio pelos seus corredores justifica, logo de cara, por que este já foi considerado o melhor mercado do mundo, entre tendas de produtos fresquinhos (mostardas! Maple syrup! Queijos!), delicatessens e artesanatos. Perca-se ali, por uns minutinhos, na atmosfera repleta de autenticidade que cerca o mercado, e deguste os sabores que Toronto tem!

É possível admirar a natureza em diversos pontos, como no Lago Ontário, por exemplo (foto: shutterstock)

É possível admirar a natureza em diversos pontos, como no Lago Ontário, por exemplo (foto: shutterstock)

Niágara Falls

Se tiver pelo menos quatro dias disponíveis na cidade, reserve um deles para dar um pulinho nas Cataratas do Niágara. A atração é um dos cartões-postais do país e está a apenas duas horas da cidade indo com o trem da Via Rail – o tíquete de ida e volta custa a partir de C$ 23. É possível explorar o parque a pé ou até de helicóptero e em qualquer estação do ano – sim, inclusive no gelado inverno canadense, quando o espetáculo natural fica ainda mais impressionante, com formações de gelo tomando conta da paisagem.

Por fim, vale a pena encerrar a viagem com uma ida ao Niágara Falls (foto: shutterstock)

Por fim, vale a pena encerrar a viagem com uma ida ao Niágara Falls (foto: shutterstock)

Toronto Islands

Ademais, para uma escapadela, corra para as ilhas! Balsas partem constantemente para as Toronto Islands, arquipélago localizado a dois quilômetros da costa. A ideia ali é caminhar, pedalar, curtir a natureza.

Casa Loma

A megalomaníaca Casa Loma, que lembra um castelo medieval europeu, foi construída no começo do século 20 como residência de um rico investidor canadense. Ele lotou seus aposentos de arte, contratando profissionais renomados para assinar o design dos móveis e a decoração. Hoje, tudo isso pode ser visitado em tours audioguiados, que percorrem passagens secretas, túneis, torres, estábulos e jardins.

Elmwood

Enfim, entre um passeio e outro, não descarte a possibilidade de se presentear com uma tarde relaxante em um spa. Um dos mais sofisticados de Toronto é o Elmwood, instalado em um prédio histórico, que pode servir como uma parada estratégica no meio da viagem para descansar do voo ou das caminhadas pela cidade. Além dos inúmeros tratamentos de massagem e um ambiente relaxante, o espaço ainda conta com um restaurante com refeições leves, piscinas aquecidas e serviço de manicure. Destaque para o pacote Taste of the World Head to Toe Reviver, que inclui esfoliação, massagem com conchas de lava quente e fria, limpeza de pele e tratamento do couro cabeludo com extratos de pêssego e noz macadâmia (C$ 295).

 

Portugal, Mônaco, República Tcheca, México, Especial Resorts e muito mais. Nós temos um App perfeito para você planejar o seu próximo destinos de férias. Confira!

 

Leia também:

Canadá aos extremos: Yukon e Niágara

Vancouver: misto de cidade e natureza no Canadá

Poutine: onde comer o prato nacional do Canadá

Como é dormir em um hotel de gelo no Canadá

Que tal transformar o seu cartão de crédito em uma verdadeira fábrica de milhas?
Se você gasta pelo menos R$ 3.000,00 por mês no cartão de crédito e não consegue emitir um bilhete por ano para os EUA com as suas milhas acumuladas, acredite, você não sabe usar o cartão de crédito a seu favor.
Quero te convidar a se tornar especialista no assunto. Aprenda a viajar de graça, entrar em salas vips ao redor do mundo sem pagar nada e fabricar milhas com o nosso time de especialistas. Chegou a hora de você virar o jogo e parar de dar dinheiro aos bancos.

Saiba como viajar de graça e sem enrolação!