HomeDestinosAmérica do SulCarmelo: esticada para quem gosta de vinhos

Carmelo: esticada para quem gosta de vinhos

Carmelo: esticada para quem gosta de vinhos

Esticada para comer e beber bem, pertinho de Montevidéu e Colônia do Sacramento

Por Tarcila Ferro, Thelma Lavagnoli e Victor Gouvêa

Como chegar a Carmelo?

De Colônia do Sacramento são 80 quilômetros pela rodovia 21 e a distância para quem vem de Montevidéu é de 178 quilômetros.

 

Como é?

A esticada em Carmelo é uma ótima aposta – ali encontramos alguns dos melhores restaurantes, vinícolas e hotéis de todo o Uruguai. Vale a pena reservar duas noites na cidade para visitar as bodegas. Carmelo tem pouco mais de 16 mil habitantes, mas é um lugarzinho perfeito para quem quer namorar, descansar e saborear bons vinhos.

 

Rio

Rio de Carmelo (foto: shutterstock)

 

O que fazer em Carmelo?

Se você visitou as vinícolas próximas a Montevidéu, já escutou muito sobre a Tannat, mas caso esta seja sua primeira introdução aos vinhos uruguaios, aposte em uma visita à Finca Narbona, uma das mais antigas e conceituadas do Uruguai, em funcionamento desde 1909. O passeio é acompanhado pelo enólogo da casa e a degustação é feita na cave original, de mais de um século. Os visitantes podem entender os processos da fabricação do vinho – e se for época de colheita, em fevereiro e março, até acompanhar a seleção das uvas, prensa e fermentação em tonéis de inox. As instalações da bodega Narbona são de extremo bom gosto, como a sala para degustação elegante, com mesa de madeira comprida e cercada por garrafas dentro do galpão onde os vinhos envelhecem em barricas de carvalho francês e americano. Ali os visitantes podem saborear o vinho premium Luz de Luna, considerado o melhor do país em 2011. Outros rótulos também são servidos, como o Tannat Roble e o Tannat Rose. São produzidos ainda queijos (Camembert e Brie), doce de leite, azeites e frutas em conserva. Fique ali para o almoço e saboreie uma refeição no salão rústico chique de bodega harmonizado com os vinhos da casa.

 

Bodega

Bodega (foto: divulgação)

 

A dez quilômetros da Narbona, a bodega Cordano – Almacén de la Capilla é tocada pela quinta geração da família de italianos que chegou ao Uruguai em 1870. A Cordano é daqueles lugares que os próprios donos recebem você calorosamente e oferecem um mate, puxam as cadeiras no jardim coberto por videiras e servem a safra do ano, cheios de orgulho. Produzem apenas 10 mil garrafas anuais de excelentes vinhos.

 

Onde se hospedar em Carmelo?

 

Carmelo Resort e Spa

O bosque de eucaliptos e a imensa porta de madeira entalhada com motivos hindus, trazida da Tailândia, dão as boas-vindas aos hóspedes. A grande sala de pé-direito alto da entrada do resort tem lareira, sofás confortáveis e uma varanda com vista para a piscina azul-marinho, a paisagem campestre e o rio bem lá no fundo. Os caminhos levam aos quartos espaçosos e isolados como bangalôs, que se integram à paisagem. Muita madeira, muito conforto, um spa de respeito e amenities L’Occitane para conquistar de vez. No restaurante Pura, é servida comida sul-americana com técnicas de alta gastronomia.

 

Wine Lodge Narbona

Uma pousada de cinco quartos, com selo de qualidade inquestionável Relais & Châteaux, vista para os vinhedos ou para a adega, varanda e alguns com terraço privativo. Romântico ao extremo.

 

Leia mais:

Montevidéu: roteiro pela capital histórica

Colônia do Sacramento: charme com toque colonial

Punta del Este: a praia mais famosa do Uruguai

Cabo Polonio: Uruguai versão natureza

 

Compartilhar: