fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosAmérica do NorteConheça os melhores pontos da Financial District, NY

Conheça os melhores pontos da Financial District, NY

Conheça os melhores pontos da Financial District, NY

Tomado pela correria dos escritórios em ruas estreitas entre arranha-céus, o Financial District vem se tornando interesse turístico com a abertura de novas atrações

Por Thelma Lavagnoli e Cristiane Sinatura

Você sabia que a Viajar tem grupos gratuitos no WhatsApp e Telegram com dicas, serviços e muitas promoções de destinos no Brasil e no Mundo?
Faça parte desse grupo e comece a planejar a sua próxima viagem!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

9/11 Memorial Museum

O terreno onde antes ficavam as Torres Gêmeas, no Financial District, agora dá lugar a dois grandes espelhos d’água, que caem em forma de cascata e têm suas bordas gravadas com o nome das 3 mil vítimas. Já o museu em si, que ocupa as fundações expõe toda a linha do tempo dos atentados de 2001, com um acervo de 10 mil peças como fotos, objetos pessoais encontrados nos escombros e até fragmentos dos aviões. Além disso, é possível ver ali a chamada Escada dos Sobreviventes, por onde muitas pessoas escaparam. Confira aqui!
180 Greenwich St

9/11 Memorial Museum, Financial District

9/11 Memorial Museum (foto: shutterstock)

One World Observatory

O maior prédio do Ocidente, com 541 metros de altura, veio substituir o World Trade Center e, no topo de seus 102 andares, tem um mirante panorâmico que deixa ver grande parte de Manhattan e os principais cartões-postais da cidade. Também lá em cima está o bar e restaurante One Dine. O elevador, ultrarrápido, aliás, sobe em 46 segundos, com projeções nas paredes que mostram a evolução de Nova York desde que era uma região pantanosa no século 16. Confira aqui!
117 West Street

One World Observatory, Financial District

Vista do One World Observatory (foto: shutterstock)

Oculus

Assemelhando-se a uma pomba branca da paz, a estrutura assinada pelo arquiteto Santiago Calatrava (bem como a do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro) abriga um novo terminal de transportes e também um shopping Westfield, com lojas como Apple, Banana Republic, H&M e MAC, por exemplo. Entre as opções para comer, há uma unidade da hamburgueria Shake Shack e um Eataly. Confira aqui!
185 Greenwich St

Oculus, Financial District

Oculus (foto: shutterstock)

 

Que tal receber, no conforto de sua casa, um conteúdo especial sobre viagens, produzido pelo nosso time de especialistas? Clique aqui e assine agora a Revista Viajar pelo Mundo!

 

Estátua da Liberdade

Presente da França aos Estados Unidos em 1886, a estátua-símbolo de Nova York rende um dos passeios mais concorridos do Financial District e da cidade. Para ir até lá, pega-se um barco no Battery Park para um trajeto de 15 minutos. Para subir à coroa, entretanto, é necessário comprar o ingresso com muita antecedência pelo site. Além disso, em 2019, foi inaugurado na ilha o Statue of Liberty Museum, que conta a história do monumento de forma interativa e reflexiva, com estrutura bem maior que o museu anterior, no pedestal da estátua. Com o mesmo barco, aliás, você ainda pode visitar a vizinha Ellis Island e seu museu sobre a imigração nos Estados Unidos. Confira aqui!

Estátua da Liberdade, Financial District

Estátua da Liberdade (foto: shutterstock)

 

Onde de hospedar em NY?

Millenium Hilton Downtown: No Financial District, perto do One World Trade Center, este hotel gigante tem mais de 500 acomodações com padrão executivo e boa estrutura de serviços.

 

Wall Street

O coração financeiro de Nova York tem dois ícones máximos: a Bolsa de Valores e o Charging Bull, a estátua de bronze de um touro que simboliza a prosperidade e a vitalidade econômica do país. Dizem, aliás, que quem passa a mão nos chifres e testículos dele tem garantia de sucesso na conta bancária – assim, explica-se a fila para tirar uma foto cumprindo a simpatia.

Wall Street, no Financial District

Estátua da Wall Street (foto: shutterstock)

Seaport District

Ruas com chão de paralelepípedo, prédios centenários de tijolinho, vistas bucólicas do rio… Essa cena poderia estar em alguma cidadezinha europeia, mas acredite: o Seaport District fica a poucos passos dos arranha-céus de Wall Street (e sim, você continua em NY!). Grudada à Brooklyn Bridge, a área histórica no sul de Manhattan foi o coração da zona portuária de Nova York, com raízes que remontam ao século 17. Com o declínio do comércio marítimo ali e até a devastação total provocada pelo furacão Sandy, em 2012, o bairro tinha tudo para, com o perdão do trocadilho, ter naufragado. Entretanto, graças a um projeto de revitalização, o que antes era um pedaço caído hoje virou cool e é um dos hotspots do momento – tanto entre turistas como locais.

O epicentro da região é o novo Pier 17, um imenso complexo envidraçado que concentra restaurantes e bares bem badalados, debruçado sobre as águas do Rio East. Destacam-se as casas recém-abertas de chefs consagrados, como o The Fulton, de Jean-Georges Vongerichten. No rooftop, além de vistas dignas de cartão-postal para o skyline nova-iorquino, o Pier 17 ainda conta com uma programação variável de shows e apresentações de artistas, além de outras atrações (no inverno, é montado um imenso rinque de patinação no gelo, por exemplo). Confira aqui!
89 South St

Pier NYC

Pier 17 (foto: divulgação)

Century 21

Esta loja de departamento com preços interessantes vive lotada e requer um pouco de paciência para garimpar. Mas vale a pena, afinal, há descontos de até 70% em peças de grife, além de produtos para casa, cosméticos e eletrodomésticos. Após um fechamento em 2020, a famosa loja de descontos anunciou, enfim, seu retorno, previsto para 2021. Confira aqui!

Century 21

Century 21 (foto: shutterstock)

Nos arredores

Chinatown

O bairro da colônia chinesa no Financial District é um reduto de lojinhas vendendo mil e uma coisas, barraquinhas de rua com sanduíches e frutas, restaurantes exóticos que servem receitas milenares de peixe, pato e leitão, templos budistas e, acima de tudo, o Museum Of Chinese in America. Destaque também para o Asia Market, uma grande loja de produtos alimentícios orientais, e o Elizabeth Center, bom para itens artesanais feitos por chineses.

Little Italy

NY recebeu seus primeiros imigrantes italianos no século 19 e hoje, especialmente na Mulberry Street, enfileiram-se restaurantes típicos de pizza e massa, com direito a toalha vermelha quadriculada e tudo, além de outros mais descoladinhos como o Rubirosa. Além disso, tem também o Italian American Museum.

Brooklyn Bridge

De 1883, foi a primeira ponte de aço suspensa do mundo e rende belas vistas de Lower Manhattan. Atravessá-la a pé leva 20 minutos, portanto, uma boa opção é alugar uma bicicleta (citibikenyc.com) para chegar ao outro lado e curtir o parque à beira do rio.

 

Novos destinos, novos sonhos e novas possibilidades… Com certeza a sua próxima viagem está em nosso app. Confira, compre, planeje e viaje. Clique aqui e aproveite!

 

Leia também:

Os passeios mais bacanas em Midtown

Tudo em Upper East Side

Atrações fora da Ilha de Manhattan

Nova York: o que fazer pelos principais bairros

O que fazer no Chelsea

Que tal transformar o seu cartão de crédito em uma verdadeira fábrica de milhas?
Se você gasta pelo menos R$ 3.000,00 por mês no cartão de crédito e não consegue emitir um bilhete por ano para os EUA com as suas milhas acumuladas, acredite, você não sabe usar o cartão de crédito a seu favor.
Quero te convidar a se tornar especialista no assunto. Aprenda a viajar de graça, entrar em salas vips ao redor do mundo sem pagar nada e fabricar milhas com o nosso time de especialistas. Chegou a hora de você virar o jogo e parar de dar dinheiro aos bancos.

Saiba como viajar de graça e sem enrolação!