fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosAmérica do NorteNova York: Atrações fora da Ilha de Manhattan

Nova York: Atrações fora da Ilha de Manhattan

Nova York: Atrações fora da Ilha de Manhattan

Uma volta pelos distritos de Nova York, depois de Manhattan os mais populares se tornam Brooklyn, Queens, Harlem e Staten Island

Por Thelma Lavagnoli e Cristiane Sinatura

Coney Island
Quer ter acesso, em primeira mão, a dicas e curiosidades sobre destinos no Brasil e ao redor do mundo?
Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou Telegram e fique por dentro de tudo!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

Brooklyn

O mais populoso borough (distrito) de NY reserva boas surpresas com o mesmo nível de qualidade que Manhattan, como o Prospect Park e o Brooklyn Museum, com seus cinco andares de Egito Antigo, arte africana, pintura europeia e obras contemporâneas. Três regiões merecem atenção especial:

Dumbo

Depois de atravessar a Brooklyn Bridge ou de chegar a bordo do East River Ferry, é de praxe explorar a região de Dumbo. Ali o Brooklyn Bridge Park garante algumas das melhores vistas do Financial District – e é onde ficam o icônico carrossel Jane, de 1922, e a sorveteria Brooklyn Ice Cream Factory. O passeio continua pelas ruas de pedra entre as pontes Brooklyn e Manhattan, tomadas por galerias de arte, livrarias, butiques, cafés e endereços como a pizzaria Grimaldi’s e a chocolateria Jacques Torres. Aos domingos, entre abril e outubro, acontece aos pés da Manhattan Bridge o Brooklyn Flea, mercado de pulgas que reúne móveis, roupas, antiguidades e artesanatos. Dica: a partir da Washington Street, tira-se a célebre foto da Manhattan Bridge enquadrada entre os prédios e emoldurando o Empire State ao fundo.

 

Brooklyn

Brooklyn (foto: shutterstock)

 

Williamsburg

O bairrinho pop-hipster que já faz sucesso há algum tempo é cheio de endereços bacanas, entre lojas, cafés, cervejarias e rooftop bars, especialmente entre as avenidas 6 e 11 e as ruas Bedford e Kent. Imperdível tomar um drinque na cobertura do hotel Wythe ou fazer um tour pela fábrica da Brooklyn Brewery. Aos sábados, entre abril e outubro, acontece a Smogasburg, feirinha gastronômica que reúne até cem barracas de comida de rua no East River State Park. De domingo, ela migra para o Prospect Park, também no Brooklyn.

 

Williamsburg

Williamsburg (foto: shutterstock)

 

Coney Island

Em uma hora de metrô saindo de Manhattan, chega-se a uma versão totalmente diferente de Nova York, feita de parques de diversão e praia. Ali, desde o século 19, a cidade ganha cara de balneário, com areia que lota no verão e endereços centenários, como a lanchonete Nathan’s Famous Hot Dogs, o Luna Park, famoso pela montanha-russa de 1927 Cyclone, o Deno’s Park, que abriga a roda-gigante Wonder Wheel, de 1918, e o New York Aquarium, mais antigo da cidade.

 

Coney Island

Coney Island (foto: shutterstock)

 

Queens

O maior distrito de Nova York é uma mistura de estilos. Tem centrinho com cara de Williamsburg, tem muitos parques, tem museus, tem bairros étnicos… À beira do Rio East, Long Island City é uma das regiões mais em alta, com galpões industriais e áreas abandonadas em plena renovação. Um dos endereços pioneiros por aqui é o PS1, filial do MoMA voltado à arte contemporânea e experimental e famoso por sediar ótimos festivais de verão. Vale a pena bater perna pela Vernon Boulevard, que concentra restaurantes como o mexicano estrelado Casa Enrique, o bistrô francês Café Henri e o tailandês Spice. Entre as muitas áreas verdes, o Gantry Plaza State Park arranca vistas imperdíveis de Manhattan; antigo lixão, o Flushing Meadows Corona Park hoje guarda o maior lago da cidade, o Queens Museum of Art, um zoológico com ursos andinos e uma enorme escultura do globo terrestre. Para um passeio repleto de diversidade, é curioso tomar o metrô da Linha 7, conhecido como International Express, justamente por cobrir bairros étnicos de várias nacionalidades, como italianos, irlandeses, filipinos, porto-riquenhos… A Chinatown do Queens, aliás, chega a ser até mais autêntica que a de Manhattan – vide a praça de alimentação nos subterrâneos do Golden Shopping Mall, onde nasceu o restaurante de noodles Xi’an Famous Foods. Quem gosta de música, cultura negra e decoração retrô vai curtir o Louis Armstrong House Museum, casa do famoso cantor de jazz, que, além de contar sua história e exibir acervo pessoal, ainda tem shows no jardim durante o verão.

 

Queens

Bairro Queens (foto: shutterstock)

 

Harlem

No norte de Manhattan, este bairro-símbolo do movimento negro americano rende boas horas de passeio fora do circuito turístico. Nesse aspecto, o ponto de referência é o cruzamento entre a Martin Luther King Jr. Boulevard e a 7th Avenue, onde estão vários grafites bacanas. Vale a pena seguir pela Boulevard e conhecer também o Apollo Theater, que recebeu nomes como Ella Fitzgerald, James Brown e Stevie Wonder: pelo site oficial, dá para agendar um tour pelas instalações. Destaque também para o Museum of the City of New York, em East Harlem. As exposições preservam a história da cidade em diversas frentes, como arte, moda, feminismo e mais. Colado ao Harlem fica o campus da Universidade de Columbia, que pode ser visitado por não alunos.

 

Halem

Halem (foto: shutterstock)

 

Staten island

O distrito é famoso pelo ferry gratuito que vem de Manhattan proporcionando um belo panorama da Estátua da Liberdade. Mas agora os turistas vão ter motivos para desembarcar e passar um tempo por aqui: ainda este ano, deve ser inaugurado o Empire Outlet, com mais de cem lojas como H&M, Gap e Nike, além de restaurantes à beira da água e um hotel-butique com rooftop. Também está prevista, apesar das obras empacadas, a abertura da roda-gigante New York Wheel, que terá 190 metros de altura e completará uma volta em 38 minutos.

 

Leia mais:

Nova York: o que fazer no Chelsea

Nova York: conheça os melhores pontos da Financial District

Nova York: os passeios mais bacanas em Midtown

Nova York: tudo em Upper East Side

Atrações fora da Ilha de Manhattan

 

 

Você já pensou em acumular milhas aéreas suficientes para fazer uma viagem internacional por ano? Aguardar seus voos em qualquer lugar do mundo dentro de uma sala VIP? Ter seguros e proteções no dia a dia a nas viagens? Se você quer ser um viajante profissional, não perca esses dois e-books que a Viajar Pelo Mundo, em parceria com o site Falando de Viagem, prepararam. Chega de pagar por aquilo que você tem direito, está na hora de você conhecer todos os benefícios do seu cartão!

Clique aqui e aproveite!