HomeDestinosConheça Belmonte, a aldeia onde nasceu Pedro Álvares Cabral

Conheça Belmonte, a aldeia onde nasceu Pedro Álvares Cabral

Conheça Belmonte, a aldeia onde nasceu Pedro Álvares Cabral

O passado de Belmonte é fortemente ligado às histórias dos judeus que viveram e vivem na região desde a Idade Média

Por Tarcila Ferro

É difícil imaginar que uma aldeia do interior de Portugal, a cinco horas de carro de Lisboa, fosse o local do nascimento de Pedro Álvares Cabral, o herói das navegações portuguesasMas a história é exatamente essa. Pedro nasceu em Belmonteem 1467, e viveu ali até os 12 anos, quando se mudou para Lisboa. 

Filho de nobres, o navegador morou por toda sua infância em um pomposo castelo, a principal atração da vila. Aberta para os visitantes, a fortaleza de 600 anos segue firme e forte ostentando suas altas muralhas e a torre. Mesmo vazio por dentro, vale a pena entrar e acompanhar as exposições temporárias que contam mais sobre a história do navegador e suas descobertas. No alto da torre, as bandeiras de Portugal, da União Europeia e do Brasil firmam a ligação que começou  seis séculos.   

Para organizar e aproveitar melhor o passeio pela aldeia, que apesar de pequena é cheia de cantinhos para visitar, o ideal é deixar o carro em frente ao Castelo (o estacionamento é gratuito) e sair caminhando pelas ruelas contornadas por casinhas de pedra bem ao estilo das construções da Serra da Estrela. 

Umas voltinhas por ali e logo surgem mais lugares relacionados à época do descobrimento. Uma delas é a estátua de Pedro Álvares Cabral que decora a pequenina praça da vila. O curioso é que, no ano em que a estátua foi inaugurada, em 1963, Juscelino Kubitschek, que já era ex-presidente, foi ao evento e aproveitou para discursar. Ao lado da estátua, os dizerem da carta de Pero Vaz de Caminha sobre a descoberta da Terra de Vera Cruz, escrita em 22 de abril de 1500, estão grafados em uma pedra.  

Museu dos Descobrimentos

Seguindo mais pegadas da época das navegações surge o Museu dos Descobrimentos, que faz uma retrospectiva dos 500 anos da história do Brasil. Ele é dividido em diversas salas interativas que começam mostrando a saída da esquadra portuguesa em busca de um novo mundo até terminar nas diversas expressões culturais do povo brasileiro. A visita é bem interessante e envolve o visitante em diferentes atividades, peca apenas no tom suave com que aborda temas cruéis como a escravidão e o extermínio dos indígenas 

Outra coleção que merece uma espiada é o Museu do Azeite. A ideia da mostra é apresentar o passo a passo da produção  desde a colheita das azeitonas até o envasamento. Ele é dividido em três pisos e um olival ajuda a decorar o espaço.  

Se tiver tempo, acrescente também no roteiro o Ecomuseu do Zêzere – dedicado a mostrar a fauna e flora que brotam nas margens do Rio Zêzere. O mais famoso rio da região nasce na Serra da Estrela, a 1.900 metros de altura, trilha um percurso de 248quilômetros até desaguar no Tejo.  

Antes de deixar Belmonte faça uma última visita relacionada a Cabral indo até a Igreja de Santiago. Ponto de parada dos peregrinos que fazem o Caminho Português de Santiago de Compostela, a pequena igreja tem uma Pietá feita em granito em seu interior e murais que simbolizam São Tiago e São Pedro. Anexo fica o panteão da família Cabral, onde estão enterrados os pais de Pedro 

Cultura hebraica 

O passado de Belmonte é fortemente ligado às histórias dos judeus que viveram e vivem na região desde a Idade MédiaAcredita-se que a primeira sinagoga foi construída em 1297, posteriormente adaptada ao culto cristão. A antiga judiaria é delimitada pelas ruas Direita e Fonte da Rosa, e inscrições nas paredes das casas testemunham a história desspovo obrigado a viver em segredo.  

Sinagoga Bet Eliahu

É possível fazer uma visita também à Sinagoga Bet Eliahu (mediante agendamento)Em 2017, o Museu Judaico foi reaberto e a coleção traz uma reunião de peças da Idade Média ao século 20 utilizadas por judeus e cristãos novos durante os cultos religiosos.  

Onde comer     

Um antigo alambique foi convertido na Casa do Castelo, um restaurante para os entusiastas da comida portuguesa que fica coladinho ao Castelo de BelmonteÉ um casarão com janelas brancas e salão acolhedor com paredes de pedra e mobiliário de madeira. O menu não foge em nada da tradicional comida portuguesa. Arroz de patovitela assada, cabrito grelhado, ensopado de borrego (ovelha) e polvo à lagareiro. Entre as especialidades está a carne de javali. Preço médio dos pratos: 20. Largo de Santiago, casadocastelo.net 

Já para quem quer petiscar e gastar menos, o Fio de Azeite Taberna tem um clima gostoso com mesinhas na parte de fora e entradinhas clássicas como alheiras de caça (€7), chouriço (€6), morcela (6), tábua de queijo da região (€7,50) ou gambas (camarão) ao alho (€10). Praça da República 8.   

Mais sobre Belmonte:

Distância: a 27 km da aldeia de Manteigas e a 301 km de Lisboa

Quanto tempo ficar: um dia, não é preciso pernoitar

Imperdível: os pontos que contam a história de Pedro Álvares Cabral são especialmente interessantes aos brasileiros

Leia também: 

8 dias de carro no centro de Portugal: o que fazer, onde comer e ficar

Guia completo sobre Porto e o Norte de Portugal

Algarve: roteiro praia a praia no sul de Portugal

Santa Cruz: uma caixinha de surpresas na costa portuguesa

Óbidos: a vila medieval cheia de história e livrarias

Fátima: o epicentro religioso de Portugal

Conheça a riqueza histórica e as festas de Tomar, em Portugal

Uma visita ao Castelo de Almourol, em Portugal

Serra da Estrela, o maior parque nacional de Portugal

Marialva, o lado mais rural de Portugal

Saiba mais sobre Viseu, a cidade dos jardins e dos vinhos

Coimbra: a cidade dos tesouros literários

Compartilhar: