HomeDestinosAmérica do SulSergipe: dicas de passeios e atrações imperdíveis

Sergipe: dicas de passeios e atrações imperdíveis

Sergipe: dicas de passeios e atrações imperdíveis

Em Sergipe é possível mergulhar em águas doces, rodeadas por cânions com experiências inesquecíveis

Por Eduardo Vessoni

Mangue Seco

Já imaginou fazer uma viagem pelo sertão e ser impactado por paisagens e experiencias inesquecíveis? Pois é! Aquelas terras áridas e distantes nem imaginariam que o sertão, finalmente, viraria mar e atrairia turistas de todo o país. Mas no menor Estado brasileiro, o turismo acontece também em praias de águas doces – quem visita o extremo noroeste de Sergipe quer ver o Rio São Francisco em seu estado mais pleno.

Aliás, tudo isso acontece ainda em cidades históricas de passado bem preservado e em trilhas por onde passaram personagens que ajudaram a escrever a história local, como Virgulino Ferreira da Silva, o mítico Lampião.

Igreja Matriz de Laranjeiras

Igreja Matriz de Laranjeiras (fotos: Visit Brasil/divulgação)

Sergipe: dicas de passeios e atrações

A primeira parada para explorar o Estado é Aracaju. Com 650 mil habitantes, a capital segue em ritmo de cidade do interior e ainda parece alheia ao agito das vizinhas nordestinas. Apesar de não ter praias de tons cristalinos por conta da influência das águas dos rios, Aracaju vê a vida passar em orlas bem estruturadas.

A melhor delas é a Orla Atalaia, com seis quilômetros de extensão e endereço da Passarela do Caranguejo. O símbolo desse corredor gastronômico é a escultura do Caranguejo Gigante, com sete metros de comprimento, assinada pelo artesão Ary Marques. Ou seja, por ali não é só a concentração de bares e restaurantes que empolga: 90% da rede hoteleira da cidade concentra-se nesse pedaço.

Na direção Norte, a orla segue rumo a outros dois clássicos da cidade: os Arcos de Atalaia, monumento colorido que fica entre o mar e a avenida Santos Dumont, e mais adiante, o Oceanário do Projeto Tamar. O primeiro oceanário do Nordeste possui cerca de 70 espécies nativas do Sergipe. Além disso, há tanques com tubarões e tartarugas marinhas. Entretanto, destaque para atividades como a alimentação de animais dos aquários e a emocionante soltura de filhotes de tartaruga durante a temporada, que vai de setembro a março.

Cânioin do Xingó

Cânioin do Xingó (foto: Eduardo Vessoni)

 

Encontre seu hotel em Aracaju:



Booking.com

 

Visite o mercado central

Não deixe de fazer esta visita. O Mercado Municipal Antonio Franco, além de ser o mais antigo da cidade exibe peças de artesanato regional e muita variedade de alimentos. Aliás, quando visitar, não deixe de provar o clássico Camarão de Cueca, como é conhecida a moqueca, servida com arroz, pirão de dendê e farofa (R$ 107 para três pessoas); e o Moça Virgem, um sorvete de tapioca com banana flambada na cachaça (R$ 12). O local faz parte de um complexo formado também pelos mercados Thales Ferraz e Albano Franco e fica a poucos minutos da Ponte do Imperador, um atracadouro de 1859 erguido para receber D. Pedro II e sua comitiva. Portanto, tour gastronômico garantido!

Seja qual for a sua programação em Aracaju, o Museu da Gente Sergipana é certamente uma viagem sensorial obrigatória pela geografia, culinária e pelas manifestações culturais do Sergipe. Esse espaço cenográfico é uma espécie de “museu do mundo real”, nas palavras do curador Marcello Dantas. Portanto, as exposições permanentes são marcadas pela interatividade com o público, como o carrossel que ao ser acionado projeta imagens da cidade ou o barquinho que navega por um túnel com projeções em 360º de ambientes naturais do estado.

Museu da Gente Sergipana

Museu da Gente Sergipana (foto: Eduardo Vessoni)

Passeie de catamarã pelos rios de Sergipe

Mas no mundo real sergipano, o turismo acontece mesmo nas margens de águas calmas e doces, em atrativos naturais próximos a Aracaju. Situada entre as fozes dos rios Sergipe e Vaza-Barris, cujos sedimentos dão tons mais escuros ao mar sergipano, essa cidade com 35 quilômetros de litoral é ponto de partida para um passeio de catamarã até as praias de água doce.

Aliás, a ordem do roteiro pode variar de acordo com a maré, mas esse passeio de cinco horas inclui desembarques na Croa do Goré, banco de areia que tem esse nome em referência a uma espécie de caranguejo encontrado por ali. Situado entre manguezais, o local é equipado com bar flutuante e serviços como aluguel de pranchas de stand up paddle.

Ilha dos Namorados

Ilha dos Namorados (foto: Eduardo Vessoni)

Na mesma viagem, visita-se também a exclusiva Ilha dos Namorados, outro banco mais extenso que emerge no encontro das águas do Rio Vaza-Barris com as do mar e oferece serviços de praia como tendas, esteiras, boias e redes aquáticas.

Fique atento: as saídas dos barcos para ambos os atrativos acontecem a 20 quilômetros de Aracaju, aproximadamente, no povoado de Mosqueiro. Ou seja, na Orla Pôr do Sol, cujos belos finais de tarde explicam a fama desse que é um dos mais novos atrativos da cidade. Certamente vai se impressionar com o cenário e as cores do local.

Orla Pôr do Sol

Orla Pôr do Sol (foto: Eduardo Vessoni)

Vale a pena esticar: passeios bate-volta

Declarada uma das cidades mais antigas do Brasil e primeira capital do Sergipe, São Cristóvão guarda patrimônio de reconhecimento mundial. Ou seja, esse destino a 25 quilômetros da capital é endereço da Praça São Francisco. Desde 2010, o local figura na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, devido a suas construções dos séculos 17 ao 19.

Para visitar sem pressa a igreja e os museus da praça, como o de arte sacra no Convento de São Francisco, prefira ir durante o dia. Mas é à noite que o jogo de luzes dá outros contornos àqueles patrimônios tombados, como o cruzeiro no centro da praça.

Convento São Francisco

Convento São Francisco (foto: Visit Brasil/divulgação)

No mesmo dia, dá para combinar também uma visita a Laranjeiras, outra cidade histórica a 20 quilômetros da capital. Com construções que remontam aos períodos de intensas atividades nos engenhos locais e presença dos jesuítas no século 17, a cidade foi tombada como Patrimônio Histórico. Ela foi sede da primeira alfândega do Estado, enquanto era um importante centro comercial nordestino, e abriga, em seu compacto centro histórico de ruas estreitas de pedra-sabão, 23 construções religiosas, entre igrejas e capelas.

Laranjeiras é considerada também o município com o maior número de cavernas e grutas do Sergipe. As mais populares são as da Matriana (no bairro Comandaroba) e a da Pedra Furada (em propriedade particular do bairro Machado). Portanto, reserve um tempo para descobrir essa natureza quando estiver por ali.

Laranjeiras

A cidade Laranjeiras (foto: Eduardo Vessoni)

 


Vai fazer passeios em Sergipe? Alugue seu carro aqui!


 

Sergipe: contos do sertão

No extremo Sul do Estado fica a Praia do Saco, em Estância, a 74 quilômetros de Aracaju. A faixa de areia é uma enseada com cinco quilômetros e dunas que podem ser exploradas em passeios de bugues. O destino é conhecido também pelas viagens de barco até a Ilha da Sogra, um extenso banco de areia no Rio Real e com influência das águas do mar.

Tudo por ali parece longe e isolado, mas do outro lado do rio fica Mangue Seco, o último destino do litoral Norte da Bahia. Naquelas bandas, os dois Estados trabalham em conjunto. O visitante pode combinar a Praia do Saco com um roteiro turístico na eterna Terra de Tieta.

Passeio de bugue pela Praia do Saco

Passeio de bugue pela Praia do Saco (foto: Eduardo Vessoni)

Cânions de Xingó

No entanto, não foi o mar que colocou o Sergipe na lista dos endereços mais procurados do Nordeste. Dona do quinto maior cânion navegável do mundo, a pequena Canindé de São Francisco ficou conhecida pelos cânions de Xingó. Eles surgiram com a construção da Hidrelétrica de Xingó, no extremo Noroeste de Sergipe. Em frente à alagoana Piranhas e não muito longe de Paulo Afonso, na Bahia.

São quase 200 quilômetros até Aracaju, uma viagem que a maioria dos turistas ainda preferem fazer em cansativos bate-voltas. Mas o Velho Chico é muito complexo para ser explorado em passeios apressados de um único dia. Canindé é ponto de partida para os catamarãs que seguem lotados do restaurante Karrancas até o Paraíso do Talhado, a 15 quilômetros de distância.

Ali as embarcações fazem longas paradas para banhos em áreas delimitadas do São Francisco e navegação em canoas por corredores estreitos da Gruta do Talhado. São 60 minutos até o Talhado e mais uma hora de atividades na Gruta do Talhado. O passeio total dura três horas, incluindo o retorno.

Gruta do Talhado

Gruta do Talhado (foto: Eduardo Vessoni)

A saga de Lampião

Localizada a seis quilômetros de Canindé de São Francisco e a 12 quilômetros de Piranhas, em Alagoas, a Usina Hidrelétrica de Xingó foi responsável pelas alterações estruturais do Velho Chico. Substituiu áreas até então não navegáveis por novos setores de até 150 metros de profundidade e lagos que se formaram na região.

Para entender o rico acervo que ficaria debaixo d’água, vale conhecer o simples, mas esclarecedor, Museu de Arqueologia de Xingó (MAX). Ele abriga peças arqueológicas como cerâmicas de até nove mil anos, ferramentas líticas de quatro mil anos e peças originais que podem ser tocadas pelos visitantes. Por exemplo: um pilão de mais de cinco mil anos.

Cangaço Eco Parque

Cangaço Eco Parque (foto: Eduardo Vessoni)

Mas a história que todo mundo quer ouvir é a de Virgulino Ferreira da Silva. Desde que entrou para o mundo do cangaço, em 1917, Lampião atravessou o interior da Bahia, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Mas é em Sergipe que funciona uma das rotas temáticas mais populares do Nordeste.

O Roteiro do Cangaço fica em Poço Redondo, a 184 quilômetros de Aracaju. Aliás, é ali que está o Cangaço Eco Parque, na Fazenda Angico. Montada em um cavalo e com figurino de Maria Bonita, às margens do Rio São Francisco, a recepcionista desse complexo turístico não faz nenhuma questão de receber visitantes com sorriso estampado no rosto.

Aliás, foi na trilha até a Grota do Angico (três quilômetros e meio, ida e volta) que a polícia alagoana fez a emboscada que tiraria as vidas de Lampião, Maria Bonita e de outros nove cangaceiros, em julho de 1938. A cena é famosa até hoje pela fotografia das 11 cabeças dos cangaceiros na escadaria da prefeitura de Piranhas, em Alagoas.

Trilha até a Grota do Angico

Trilha até a Grota do Angico (foto: Eduardo Vessoni)

Cangaço Eco Parque

Em uma hora e meia de tour, a invocada Maria Bonita da recepção já começa a ensaiar um sorriso no canto da boca e o Sol bate os 40 °C, antes mesmo do meio-dia. Mas os caminhantes só parecem ter olhos para a parada final. Ou seja: uma impactante sequência de cruzes que lembram os cangaceiros mortos no local. Além disso, o Cangaço Eco Parque conta com área de lazer e almoço em sistema bufê. O valor é de R$ 38 por pessoa, com pratos regionais como carneiro frito e moqueca de tilápia, por exemplo.

Rio São Francisco visto do Cangaço Eco Parque

Rio São Francisco visto do Cangaço Eco Parque (foto: Eduardo Vessoni)

A 30 quilômetros de Canindé, a Fazenda Mundo Novo é uma área de caatinga preservada, com 663 hectares. Os turistas fazem trilhas como a da Arqueologia (1.300 metros de extensão), com pinturas e gravuras rupestres em rochas calcárias de 400 milhões de anos. São consideradas uma das mais antigas do Nordeste.

Mais curta e com 557 metros de extensão, a Trilha do Cangaço, por sua vez, abriga a curiosa Banheira de Maria Bonita. Dizem que a mulher do Rei do Cangaço teria se banhado nessa formação rochosa em forma de banheira. Há também uma cama natural de pedra, utilizada pelo casal. Ali virou mais um ponto que relembra a saga de Lampião e hipnotiza os turistas.

 

Onde se hospedar em Sergipe

Aracaju
Aracaju Praia Hotel
Em frente à Praia de Atalaia, tem 68 quartos simples e confortáveis, alguns para famílias. Diárias a partir de R$ 129. Av. Santos Dumont, 1.001, aracajupraia.com.br
Wi-Fi grátis • Piscina • Restaurante/bar

 

Mangue Seco
Pousada Fantasias do Agreste No centro da vila, tem quartos bem simples em um pátio arborizado. Diárias a partir de R$ 180. facebook.com/hotelpousadafantasiasdoagreste
Wi-Fi grátis • Restaurante/ bar

 

Canindé de São Francisco
Xingó Parque Hotel
Ao lado da Usina Hidrelétrica de Xingó, destaca-se pela vista panorâmica e tem quadras, playground e salão de jogos. Diárias a partir de R$ 287. Serra do Chapéu de Couro, s/nº, xingoparquehotel.com.br
Wi-Fi grátis • Piscina • Restaurante/ bar • Academia

 

Eco Fazenda Mundo Novo Hospedagem em área rural, tem apenas quatro chalés e nove quartos. Oferece trilhas do cangaço e day-use a R$ 95. Diárias a partir de R$ 180, com pensão completa. Rod. SE-230, km 183, ecofazendamundonovo.com.br
Piscina • Restaurante/ bar

 

Onde comer em Sergipe

Aracaju

Caravelas Bar Na Orla de Atalaia, famoso pelo cardápio regional, como o gratinado de caranguejo. Av. Santos Dumont. $
Caçarola No Mercado Municipal Antonio Franco, tem pratos como o Camarão de Cueca. Av. Ivo do Prado, 532.  $$
Praia Parati Na Praia do Refúgio, destaque para a moqueca com pescada e camarão e a caranguejada. praiaparati.com.br. Av. Inácio Barbosa, 9.201. $$

 

 

Leia também:

O que fazer em São Luís do Maranhão

Guia básico para conhecer Salvador

Abrolhos: como visitar o paraíso do mergulho na Bahia

5 fazendas de cacau para visitar na Bahia

Compartilhar: