fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeGiro pelo MundoPraias isoladas e semidesertas para curtir no Guarujá

Praias isoladas e semidesertas para curtir no Guarujá

Praias isoladas e semidesertas para curtir no Guarujá

As praias Branca, Preta e Camburi são acessadas apenas por trilha ou pelo mar e, nos dias de semana, praticamente não têm frequentadores

Praia Preta, no Guarujá
Você sabia que a Viajar tem grupos gratuitos no WhatsApp e Telegram com dicas, serviços e muitas promoções de destinos no Brasil e no Mundo?
Faça parte desse grupo e comece a planejar a sua próxima viagem!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

Em tempos de distanciamento social, é bom saber que o Guarujá, cerca de 85 km da capital São Paulo, oferece faixas de areia isoladas. É o caso das praias Branca, Preta e Camburi, onde se chega apenas por trilha ou pelo mar e que, nos dias de semana, praticamente não têm frequentadores.

Ficou curioso? Então leia a seguir sobre cada uma delas:

 

Praia Branca

Também conhecida como Prainha, a Praia Branca tem esse nome por conta do tom claro da areia. Para chegar lá, o visitante faz uma trilha bem sinalizada e tranquila, na divisa de Guarujá com Bertioga.

Cercada por um mar azul claro e pela vegetação da Serra do Guararu, em um dos trechos mais preservados da mata atlântica, a Praia Branca tem ondas que quebram forte do lado esquerdo, por isso é um point de surfistas.

Já no canto direito, o mar é calmo, o que é ideal para quem está com crianças. Elas também fazem uma festa danada num riacho que deságua no mar dessa praia.

Por fim, o lugar abriga uma antiga vila caiçara, endereço de algumas poucas centenas de moradores, que mantêm o clima rústico e a simplicidade. Lá há bares, restaurantes e, claro, barracas de artesanato.

 

Praia Preta e Praia de Camburi

Cerca de 800 metros separam a Praia Branca da Preta, num percurso de nível moderado e que, entre as frestas de plantas e troncos de árvores, revela um belo panorama do mar.

Ali na Preta, o visual é outro. Afinal, a areia é mais escura e a praia, menor. O bônus de quem estende a canga ali é desfrutar de um litoral semideserto, na companhia do som das ondas, do vento e dos pássaros.

Com os pés na trilha novamente (a qual é um pouco mais longa do que a que liga as praias Branca e Preta), chega-se à terceira e última faixa de areia do roteiro sem muvuca: Camburi. Além de ser ideal para mergulho e prática de surfe, já que ostenta ondas “bravas”, a praia também convida ao relax em banhos de rio ou cachoeira.

 

Onde se hospedar no Guarujá

É natural os turistas voltarem cansados e com fome, o que não será um problema para aqueles que ficarem no charmoso Delphin Hotel Guarujá, de frente para a Praia da Enseada.

Afinal, além dos quartos espaçosos e confortáveis, perfeitos para ajudar os hóspedes a se recomporem depois de um dia de andanças, o hotel abriga o tradicional restaurante Dona Eva.

É lá que moquecas, paellas e demais receitas com pescados e frutos do mar são um baita combustível para “reenergizar” os visitantes e, enfim, ajudar a desenvolver as conversas sobre as aventuras praianas.

Outro hotel recomendado na vizinhança é o Ibis Styles Guarujá. Aberto há três anos e com temática do surfe na decoração, o lugar une localização privilegiada (a uma quadra da Praia da Enseada) ao conforto.

Os quartos oferecem ar-condicionado, wi-fi e estacionamento gratuitos e serviço de bar. Tudo envolto por uma vibe despojada e com tarifas com ótimo custo-benefício para a alta temporada.

Lembrando que tanto o Delphin Hotel Guarujá como o Ibis Styles Guarujá funcionam em acordo com as normas de biossegurança exigidas pela prefeitura da cidade.

Sendo assim, foram implementados os padrões de segurança e protocolos de limpeza necessários para preservar a saúde dos hóspedes e funcionários, promovendo o distanciamento social.

 

Clique aqui para ver mais opções de hotéis no Guarujá!

 

 

Leia também:

11 hotéis para dar uma escapada perto de São Paulo

Ilhabela: praias e mais passeios 

20 dicas de pousadas econômicas próximas a SP 

Que tal transformar o seu cartão de crédito em uma verdadeira fábrica de milhas?
Se você gasta pelo menos R$ 3.000,00 por mês no cartão de crédito e não consegue emitir um bilhete por ano para os EUA com as suas milhas acumuladas, acredite, você não sabe usar o cartão de crédito a seu favor.
Quero te convidar a se tornar especialista no assunto. Aprenda a viajar de graça, entrar em salas vips ao redor do mundo sem pagar nada e fabricar milhas com o nosso time de especialistas. Chegou a hora de você virar o jogo e parar de dar dinheiro aos bancos.

Saiba como viajar de graça e sem enrolação!