fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosAmérica do SulO que fazer na Ilha de Páscoa: 8 coisas para conhecer

O que fazer na Ilha de Páscoa: 8 coisas para conhecer

O que fazer na Ilha de Páscoa: 8 coisas para conhecer

Selecionamos oito coisas incríveis para fazer na Ilha de Páscoa. As opções incluem caminhadas marcadas por vulcões e moais, praias e até ioga

Por Carlos Marcondes

Ilha de Páscoa
Quer ter acesso, em primeira mão, a dicas e curiosidades sobre destinos no Brasil e ao redor do mundo?
Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou Telegram e fique por dentro de tudo!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

Quem visita a Ilha de Páscoa, um pequeno pontinho quase imperceptível na imensidão do Pacífico, no meio do caminho entre Santiago do Chile e a Polinésia Francesa, certamente tem uma experiência única.

Aliás, pouca gente sabe, mas Páscoa – afastada cerca de 3.700 quilômetros da América do Sul – fica no chamado Triângulo Polinésio, formado também pela Nova Zelândia e tendo o Havaí como ápice.

Para chegar na Ilha de Páscoa são cinco horas de voo desde a capital chilena até o desembarque no aeroporto de Mataveri. O predomínio do castelhano garante ao passageiro que ele segue no mesmo país. Mas, ao pisar na ilha, a sensação já não é de estar no Chile.

Para se envolver em uma experiência endêmica, abaixo estão oito coisas para fazer na Ilha da Páscoa. Confira:

Ilha de Páscoa

Ilha de Páscoa (foto: shutterstock)

O que fazer na Ilha de Páscoa

 

Caminhadas energéticas

Certamente o trekking é a melhor forma de integrar-se à experiência da ilha. Há explorações feitas a cavalo e de bicicleta, que também são interessantes. Mas nada como andar a pé para entender a alma de uma terra solitária, que passou por incríveis turbulências.

Entretanto, há como contratar um guia com carro por cerca de R$ 250. Assim, você conhecerá os principais pontos turísticos em um dia. Mas a escolha está bem longe da ideal, pois pressa não combina com a aura da ilha.

Caminhada na Ilha de Páscoa

Caminhada no Parque Rapa Nui (foto: divulgação)

Parque Nacional Rapa Nui

Assim que chegar ao aeroporto, é recomendado já comprar a entrada para o Parque Nacional Rapa Nui, tombado pela Unesco em 1995 como Patrimônio da Humanidade.

Aliás, o bilhete sai por cerca de R$ 270, válido por dez dias, e dá acesso a todos os lugares, com retorno ilimitado, exceto na área chamada de Quinze Moais e no vulcão Rano Rararaku, onde a entrada é limitada apenas a uma visita por pessoa.

O vulcão Rano Rararaku

O vulcão Rano Rararaku (foto: shutterstock)

Atividades do hotel Explora

O luxuoso hotel Explora oferece mais de 30 atividades. De barco a bicicleta, todas são customizadas e conduzidas pelos guias, quase todos rapa nui. Aliás, os passeios já estão no pacote all-inclusive, que gira em torno de US$ 4.500 por casal, para três diárias.

As saídas são selecionadas e adequadas ao preparo e à disposição de cada um. Mas há algumas imperdíveis e prioritárias, como a visita à Pedreira (La Canteira), aos pés do vulcão Rano Rararaku. A caminhada até onde foram esculpidos 95% dos cerca de 900 moais existentes é certamente essencial para entender essa cultura que durou séculos.

Hotel Explora

Hotel Explora (foto: Carlos Marcondes)

Ao longo da trilha, passa-se ao lado de gigantes abandonados, de diversos tamanhos e formatos. Aliás, o maior transportado até a costa chega a dez metros, com aproximadamente 80 toneladas.

Mas o mais brutal não chegou a sair de sua fonte. Ele mede 21 metros e segue preso nas paredes do vulcão, em um dos sítios arqueológicos mais extraordinários do planeta, onde se encontram 396 moais.

Os gigantes de pedra estão por todo o caminho

Os gigantes de pedra estão por todo o caminho (foto: shutterstock)

Ioga e as esculturas de pedra na Ilha de Páscoa

Com formatos de rostos, as estátuas representavam a alma de pessoas importantes da sociedade. As esculturas encontradas pelos europeus foram derrubadas e danificadas. Portanto, todos os expostos na ilha passaram por minuciosas restaurações, como na famosa Ahu Tongariki, por exemplo, onde se encontram 15 enormes moais que formam um dos principais cartões-postais de Páscoa.

Além disso, com sorte, é possível encontrar pessoas praticando ioga em um cenário espetacular, entre os gigantes de pedra e a fonte vulcânica que os gerou.

Ahu Tongariki

Estátuas em Ahu Tongariki (foto: shutterstock)

Praias da Ilha de Páscoa

Outra ahu imperdível é a da praia de Anakena. Linda e de areia clara, seu cenário é único, afinal, em nenhum outro lugar do mundo é possível banhar-se tendo como vista uma baía protegida por sete moais no topo da orla.

A pequena Ovahe completa as opções de enseadas de areias brancas. É aproveitável principalmente quando a maré está baixa. Aliás, a sua costa é famosa para a prática do snorkel.

Além disso, também é possível encarar um moai frente a frente, a alguns metros de profundidade, em um dos icônicos mergulhos da ilha. Páscoa ostenta uma das maiores visibilidades do Pacífico, ultrapassando 50 metros.

Praia de Anakena

Praia de Anakena (foto: shutterstock)

Visite a Ana Kakenga

Para fechar a experiência dos moais, vale o passeio de uma tarde, com início em Ahu a Kivi, a única plataforma que traz sete estátuas completas viradas de frente para o litoral.

De lá, começa uma rústica caminhada por falésias, rumo à impressionante Ana Kakenga, um caminho tubular subterrâneo formado pelo fluxo de lava, que leva a dois mirantes sensacionais do Pacífico em formato de janelas naturais.

A exploração acaba em Ahu Tahai, já em Hanga Roa. A área, também protegida pela Unesco, abriga três plataformas de moais. Aliás, é um dos lugares mais cobiçados para assistir ao pôr do sol. É lá também que está a Ko Te Riku, a única estátua com olhos restaurados.

Ahu Tongariki

A estátua Ko Te Riku é a única com olhos restaurados (fotos: shutterstock)

Conheça detalhes da história do homem-pássaro

Uma das maneiras mais intensas de conhecer detalhes sobre a competição que elegia o rei de Páscoa por um ano é por meio de uma caminhada de nove quilômetros. O início é na plataforma Tahira.

O trajeto contemplativo serpenteia a costa. Certamente você refletirá sobre o que é estar em um lugar tão afastado da civilização. Aliás, o isolamento é tão desafiador que, dependendo da época, embarcações não conseguem aportar e a ilha fica sem suprimentos, às vezes por até um mês.

O isolamento proporcionado pela Ilha de Páscoa é bastante procurado pelos turistas (foto: Carlos Marcondes)

Ande pelas ruas de Hanga Roa

Por fim, conheça a tranquila e serena Hanga Roa. A capital é o único local com aparência de algo que possa ser considerado uma cidade. Na verdade, falamos de algumas poucas ruas com razoável oferta turística de restaurantes, bares e casas noturnas. Além disso, você encontrará uma pitoresca igreja e dois mercados de artesanatos (o de frutas e legumes é mais autêntico e mais barato).

 

Leia também:

Guia do Chile: compre o seu aqui

Roteiro de dois dias em Santiago do Chile

Rota do vinho pelo Vale de Casablanca, no Chile

10 passeios para fazer no Deserto do Atacama

Você já pensou em acumular milhas aéreas suficientes para fazer uma viagem internacional por ano? Aguardar seus voos em qualquer lugar do mundo dentro de uma sala VIP? Ter seguros e proteções no dia a dia a nas viagens? Se você quer ser um viajante profissional, não perca esses dois e-books que a Viajar Pelo Mundo, em parceria com o site Falando de Viagem, prepararam. Chega de pagar por aquilo que você tem direito, está na hora de você conhecer todos os benefícios do seu cartão!

Clique aqui e aproveite!