HomeDestinosO que fazer em Roma, Itália – Dia 3

O que fazer em Roma, Itália – Dia 3

O que fazer em Roma, Itália – Dia 3

O que fazer e onde comer passando por Villa Borghese, Piazza di Spagna e Fontana di Trevi

Por Cristiane Sinatura

Sem pressa nem estresse: o dia hoje é tranquilinho. Tem um pouco de caminhada e de visita cultural, mas se quiser só ficar de boa descansando e vendo o movimento de praça em praça com um gelato em mãos, também pode. Só não se esqueça de jogar sua moedinha na Fontana di Trevi.

Como chegar de metrô: Lepanto ou Repubblica (Linha A)
Como chegar de bonde: Bioparco (Linhas 3 e 19)

Galleria e Villa Borghese

A mansão pertencente ao sobrinho do papa Paulo V abrigava, no século 17, sua rica coleção de arte, com peças de Bernini, Rafael, Ticiano e Caravaggio. Trezentos anos depois, o palácio foi convertido em museu e agora o acervo de telas e esculturas pode ser apreciado mediante reserva antecipada pela internet. Os jardins da propriedade, porém, são abertos ao público, constituindo um dos maiores parques de Roma, com fontes, templos, zoológico, lagos e alguns outros museus. Você pode desfrutar como quiser – caminhando, relaxando, lendo, fazendo um piquenique, passeando de barco, pedalando…

galleriaborghese.it, € 15

 

Foto: Shutterstock

Piazza del Popolo

Descendo da Villa Borghese pelo Terrazza del Pincio (vistas, vistas!), você desemboca na grandiosa praça oval do século 16, antes usada como porta de entrada para a Roma Antiga. Ali estão duas igrejas gêmeas, um obelisco egípcio que ficava no Circo Máximo e a Porta del Popolo, criada por Bernini. Uma terceira igreja, a de Santa Maria del Popolo, guarda duas obras de Caravaggio. Da praça parte a Via del Corso, entre as principais ruas da cidade.

 

foto: shutterstock

Piazza di Spagna

Siga reto pela Via del Babuino (cheinha de lojas grifadas) para dar de cara com os degraus mais famosos de Roma. Em formato de gravata-borboleta, a Piazza di Spagna guarda a Escadaria Espanhola, do século 18. É ali que todo mundo faz uma pausa para descansar. No topo, a igreja Trinità dei Monti garante vista com pôr do sol inesquecível. Outras vias rendem passeios no entorno, como a Condotti, onde fica o histórico Caffè Greco, de 1760.

 

Foto: Shutterstock

Fontana di Trevi

Uma caminhadinha leva até a fonte das fontes. O monumento do século 18 não é só bonito: não bastassem o deus Netuno e toda sua pompa, aqui ainda é um reduto de simpatias turísticas. Dizem que está garantido o retorno à Cidade Eterna a quem, virado de costas para a fonte, atirar na água uma moedinha com a mão direita sobre o ombro esquerdo.
DICA DE OURO: O horário mais tranquilo para visitar a Fontana di Trevi é de manhã bem cedo ou à noite.

Termas de Diocleciano

A esta altura, você já viu muitas ruínas em Roma, mas é sempre bom visitar algumas com mais tranquilidade, sem muvuca. Apesar de ficar de frente para a estação Termini, muita gente passa reto pelo Museu Nacional Romano, que reaproveita o que sobrou do maior complexo de banhos da Roma Antiga. Hoje, há ali um interessante acervo de esculturas, sarcófagos e registros escritos que contam a história de povos anteriores aos romanos e o surgimento da língua latina. Também ocupa as ruínas a Basílica de Santa Maria dos Anjos e dos Mártires, com projeto original de Michelangelo.

museonazionaleromano.beniculturali.it, € 10 (ou € 12 para os outros três prédios do museu)

 

foto: shutterstock

Onde almoçar na região?

A dica é: faça um piquenique na Villa Borghese ou, entre a Piazza di Spagna e a Fontana di Trevi, prove os poucos, mas bons, pratos do tradicional Nino. Finalize com um sorvete na Magnum Pleasure Store, onde você monta o seu picolé como quiser, perto da Piazza di Spagna, ou com um chá no Babington’s.

 

À noite: curta o bairro de San Lorenzo

O frescor jovem que areja este bairro vizinho à estação Termini se deve à Universidade La Sapienza. Em meio a muros grafitados, predinhos puídos e ateliês de arte, a vida noturna corre solta até altas horas, especialmente ao redor da Piazza dell’Immacolata. Cervejaria bem no burburinho, a Rive Gauche tem os clássicos de pub: boas bebidas, música e gente bacana!


Veja mais:

Dia 4: Vaticano, Gianicolo, Trastevere

Extras: passeios diferentes para quem tem mais dias


Onde se hospedar em Roma

La Griffe: Perto da estação de Termini, tem quartos modernos e muito espaçosos, alguns com hidromassagem, academia e sauna privativas. O restaurante no terraço tem vista bacana. Via Nazionale, 13.

Starhotels Michelangelo: perto do Vaticano, este quatro estrelas tem quartos confortáveis e renovados, alguns com vista para a cúpula da basílica. Villa della Stazione San Pietro, 14.

Veja outras opções de hospedagem em Roma aqui!

 


Vai para Roma? Já possui Seguro Viagem?
O buscador do VitalCard cota os melhores preços e planos para você, oferecendo parcelamento e atendimento rápido ao cliente.


Alugue um carro em Roma
Encontre as melhores ofertas das locadoras de uma só vez! Acesse o RentCars e encontre a opção que atenda à sua necessidade. Com atendimento em português, eles parcelam em até 12x no cartão e ou com desconto no boleto.

Compartilhar: