HomeDestinosChapada dos Veadeiros: no coração do Brasil

Chapada dos Veadeiros: no coração do Brasil

Chapada dos Veadeiros: no coração do Brasil

No estado de Goiás, a região guarda lendas, “causos”, espiritualidade e sabedoria popular

Por Ana Ferrareze

Em julho de 2015, troquei de santo. Dei “até logo” ao Paulo e abracei o Jorge. Até então, era só um lance. Em janeiro deste ano, virou namoro. Hoje, minha morada é São Jorge, uma vila de 600 habitantes à entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Cheguei para trabalhar como repórter do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, festival que acontece todo mês de julho, desde 2001.

Não por acaso, esta é a melhor época para conhecer a Chapada. Durante 15 dias, tive a chance de desvendar outro lado da região, que vai além das inúmeras cachoeiras e dos pontos turísticos pontuais, disponíveis – que sorte a nossa – o ano inteiro. Descobri não só um Goiás escondido, mas um Brasil pouco conhecido. A Chapada chamou e o meu coração respondeu.

Aqui, encontro diariamente pessoas vindas de diferentes direções. Umas chegam para passar uns dias; outras vêm dispostas, ou se dispõem com o tempo, a entregar a vida a esse pedaço de Goiás. Os motivos são diversos. A região de Alto Paraíso – que faz as vezes de capital da Chapada dos Veadeiros e da qual São Jorge, onde moro, é distrito – é ponto de encontro de muitas comunidades ditas alternativas. Por isso, ela é automaticamente associada ao misticismo.

(Foto: shutterstock.com)

(Foto: shutterstock.com)

Isso começou na década de 1950, quando um grupo de pernambucanos chegou em uma missão espiritual e fundou a Fazenda Bona Espero, um centro de ensino de esperanto, idioma criado para ser universal. Hoje, ela não funciona mais com esse objetivo, mas ainda mantém as portas abertas como um retiro. Depois dela, diferentes linhas chegaram e ainda chegam: kardecistas, daimistas, umbandistas, astrólogos, xamanistas, ufologistas, bruxos, discípulos de Osho, Gurdjieff e Khalil Gibran… A lista é longa.

A questão é: quem busca conhecimento ou uma viagem espiritual tem um rol extenso de opções à disposição. Não à toa, o guru brasileiro Sri Prem Baba tem um ashram em Alto Paraíso, onde passa uma temporada de agosto a outubro. No restante do ano se divide entre Rishikesh, na Índia, Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, e pelo mundo, em palestras e visitas aos lugares que pregam seus ensinamentos sobre o despertar do amor. Ele também vai marcar uma parada em Alto entre 24 de maio e 6 de julho.

  • A reportagem completa está disponível na edição 82 da revista Viajar Pelo Mundo.
Compartilhar: