fbpx
  • Seu carrinho está vazio.
HomeDestinosLondres: o que fazer na região da London Bridge

Londres: o que fazer na região da London Bridge

Londres: o que fazer na região da London Bridge

Um roteiro passando por Tower of London, Tower Bridge, Borough Market, The Shard, Shakespeare’s Globe e Tate Modern

Por Cristiane Sinatura

Quer ter acesso, em primeira mão, a dicas e curiosidades sobre destinos no Brasil e ao redor do mundo?
Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou Telegram e fique por dentro de tudo!

Entrar no grupo Telegram! Entrar no grupo WhatsApp!

Como chegar: estação London Bridge nas linhas Jubilee e Northern do metrô

The Shard

No horizonte londrino, impõe-se uma longilínea pirâmide de vidro, desenhada pelo arquiteto italiano Renzo Piano. Além de sediar restaurantes, escritórios e um hotel Shangri-La, o prédio mais alto da Europa Ocidental, com 309 metros, tem mirantes nos andares 69 e 72 (este último a céu aberto). É o The View from The Shard, que permite ver até 65 quilômetros à frente, abrangendo toda a cidade e seus cartões-postais.

Veja mais informações aqui.

 

The Shard

The Shard (foto: shutterstock)

 

Borough Market • 350 m da estação

Em atividade desde o século 13, este irresistível mercado se popularizou como reduto gourmet, com mais de cem bancas de produtos frescos. Perca-se entre embutidos, sidras, queijos, pães, temperos, azeites… Também há coisinhas típicas de vários países, da Etiópia à França. Além de estar rodeado de restaurantes com serviço de mesa, tem ainda barracas de comidas para viagem, como paella, ostras e sanduíches. Funciona a todo vapor especialmente de quarta a sábado (e fecha aos domingos).

Veja mais informações aqui.

 

Borough Market

Borough Market (foto: shutterstock)

 

Tate Modern • 1,2 km da estação

O todo-poderoso museu de arte moderna e contemporânea veio trazer vida ao velho galpão de uma companhia elétrica na margem sul do Tâmisa, expondo trabalhos de Cézanne, Matisse, Picasso, Dalí, Warhol e muitos outros. Gratuito, o Tate ganhou recentemente uma expansão, a Switch House, um novo prédio anexo de arquitetura ousada, onde há exibições temporárias. Tem ainda mirante com vista panorâmica – bem em frente, do outro lado do rio, vislumbra-se a imponente St Paul’s Cathedral, de 1711, cuja cúpula só é menor que a Basílica de São Pedro, no Vaticano, e a modernosa Millenium Bridge, ponte exclusiva para pedestres. De quebra, pode-se pegar um barco até a Tate Britain, o “museu-mãe”, focado em arte britânica dos séculos 16 a 20, com obras de William Turner e Francis Bacon. Entrada: Grátis.

Veja mais informações aqui.

 

Tate Modern

Tate Modern (foto: shutterstock)

 

Shakespeare’s Globe • 1 km da estação

Réplica de um teatro elisabetano do século 17, esta arena a céu aberto tem apresentações de Shakespeare e outros autores entre abril e outubro. No resto do ano, elas migram para o teatro coberto Sam Wanamaker Playhouse, que também faz parte do complexo. Há tours guiados + exposição sobre a história do Globe, do Bardo e da arte teatral.

Veja mais informações aqui.

 

Shakespeare Globe

Shakespeare Globe (foto: divulgação)

 

Tower Bridge • 1,1 km da estação

Primeiro de tudo: não confunda London Bridge com Tower Bridge. Vizinhas, ambas cruzam o Tâmisa, mas a primeira é uma ponte bem comum, da década de 1970. Já a icônica e neogótica Tower Bridge impera desde  1894, com 45 metros de altura, erguendo suas básculas para permitir o trânsito de navios. Hoje ela abriga uma exibição que explica sua história e seu sistema de abertura, com direito a visita à antiga sala de máquinas a vapor. Entrada: £ 8

Veja mais informações aqui.

 

Tower Bridge

Tower Bridge (foto: shutterstock)

 

Tower of London • 1,8 km da estação

Outra estação de acesso: Tower Hill
Atravessando o Tâmisa pela Tower Bridge, quem domina é a fortaleza construída há mil anos. Já foi palácio, casa da moeda e prisão, ganhando fama de mal-assombrada como local de execução, por onde rolaram cabeças famosas – como as das rainhas consortes Ana Bolena e Catherine Howard, ambas condenadas pelo próprio marido, o rei Henrique VIII. Hoje, os visitantes vêm ver os tesouros da família real, guardados pelos soldados beefeaters. Impossível não se embasbacar diante das muitas joias reluzentes, como a coroa de platina da Rainha-Mãe e a Coroa Imperial do Estado, usada por Elizabeth II em poucas ocasiões ainda hoje. Além disso, também há seção de armas e armaduras, cobrindo 500 anos de história, na White Tower, a construção mais antiga do complexo. Entrada: £ 25

Veja mais informações aqui.

 

Tower of London

Tower of London (foto: shutterstock)

 

Onde comer perto da London Bridge?

Em um prédio de 1677, o pub George Inn tem origens ainda mais antigas e teria recebido gente como William Shakespeare e Charles Dickens. No Borough Market, o Fish! prepara pescados e frutos do mar fresquíssimos na frente do cliente. No Shakespeare’s Globe, o restaurante The Swan tem menus especiais para quem vai ao teatro.

 

Onde dormir perto da London Bridge?

Perto da Tower of London, o novíssimo cinco estrelas Four Seasons at Ten Trinity Square ocupa um antigo prédio da ONU com cem quartos sofisticados e restaurante de chef estrelada. Atrás da Tate Modern, o CitizenM esbanja design criativo no espaço diminuto de suas 192 acomodações.

 

Leia mais:

 

Estação Camden Town: comprinhas no Camden Market, Amy Winehouse e passeio pelo Regent’s Park

Estações South Kensington: passeios no Victoria and Albert Museum, Natural History Museum e Science Museum

Estação Covent Garden: visitas ao British Museum e London Transport Museum + comidinhas e compras no Covent Garden Market

Estação Westminster: os maiores clássicos londrinos, passando por London Eye, Big Ben, Palácio de Westminster e Abadia de Westminster

Estação Piccadilly Circus: musicais, Chinatown, National Portrait Gallery e National Gallery

ESTAÇÕES BÔNUS: compras em Portobello Road Market, voltinhas pelo Museu Madame Tussauds, Sherlock Holmes e pelo Parque Greenwich

 

 

 

Você já pensou em acumular milhas aéreas suficientes para fazer uma viagem internacional por ano? Aguardar seus voos em qualquer lugar do mundo dentro de uma sala VIP? Ter seguros e proteções no dia a dia a nas viagens? Se você quer ser um viajante profissional, não perca esses dois e-books que a Viajar Pelo Mundo, em parceria com o site Falando de Viagem, prepararam. Chega de pagar por aquilo que você tem direito, está na hora de você conhecer todos os benefícios do seu cartão!

Clique aqui e aproveite!