HomeGiro pelo MundoDicasVeja obras de Oscar Niemeyer que são atrações turísticas

Veja obras de Oscar Niemeyer que são atrações turísticas

Veja obras de Oscar Niemeyer que são atrações turísticas

Hoje, 15 de dezembro, é aniversário do arquiteto e, para celebrar, selecionamos algumas de suas atrações que conquistaram status de cartão postal no Brasil

Por Redação

Quando o assunto é desenvolvimento urbano, um dos brasileiros mais lembrados é Oscar Niemeyer e, hoje, 15 de dezembro, seria seu aniversário. Para celebrar a data, o prédio do Hotel Nacional Rio (projetado pelo arquiteto e inaugurado nos anos 1970) foi reaberto nesta quinta-feira com um novo nome,  Gran Meliá Nacional Rio. Contudo, este não é – nem de longe – a única criação de Niemeyer que caiu nas graças do turismo: existem muitos endereços assinados por ele que ganharam status de atração turística e merecem entrar no roteiro de sua próxima viagem. A seguir, selecionamos alguns deles:

Museu de Arte Contemporânea de Niterói 

museu-arte-contemporanea

Museu de Arte Contemporânea – foto: Shutterstock

Inaugurado em 1996, o MAC está entre os principais cartões postais de Niterói. Ele reúne mais de 1.200 obras, mas também atrai milhares de visitantes por ano graças a sua estrutura: com 16 metros de altura, tem uma base cilíndrica com 9 metros de diâmetro que sustenta todo o prédio. Há, ainda, um espelho d’água com mais de 800 m² de superfície e 60 centímetros de profundidade. Foram necessários cinco anos para erguer a construção de quatro pavimentos e cerca de 300 operários se revezando em três turnos.

Edifício Copan, São Paulo

copan-sao-paulo

Edifício Copan – foto: Shutterstock

Em forma de S, o Copan é um edifício inconfundível do cenário paulistano e extremamente fotografado por quem passa pela região da Avenida Ipiranga, onde está localizado. Ele foi projetado na década de 1950 por Niemeyer com a colaboração de Carlos Alberto Cerqueira Lemos e simboliza um momento de expansão da cidade. Atualmente, o local compreende mais de mil apartamentos, além de espaços voltados a arte e bons restaurantes, como o Bar da Dona Onça.

Conjunto Arquitetônico de Pampulha, Belo Horizonte 

pampulha

Igreja de São Francisco – foto: Shutterstock

Composto por quatro edifícios, o conjunto  fica às margens da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Ele foi finalizado na década de 40 e inclui a Igreja de São Francisco, o Museu de Arte da Pampulha, a Casa de Bailes e o Iate Tênis Clube. Ainda na capital mineira, existem outros endereços populares projetados pelo arquiteto como, por exemplo, o Edifício Niemeyer, dos anos 1950, que tem linhas inspiradas nas montanhas do Estado.

Brasília

brasilia-catedral

Catedral Nossa Senhora Aparecida – foto: Shutterstock

A capital do País merece um tópico próprio, afinal alguns de seus prédios mais importantes foram assinados por Oscar Niemeyer: em 1956, o arquiteto foi convidado pelo então presidente Juscelino Kubitschek para projetar a nova capital do Brasil e nomeado diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura da Novacap, empresa responsável pela construção de Brasília. Nos anos seguintes, 1957 e 1958, executou os projetos do Palácio da Alvorada, do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto, entre outros.  Vale lembrar que a famosa Catedral Nossa Senhora Aparecida, finalizada em 1960, foi o primeiro monumento a ser criado.

Museu Oscar Niemeyer, Curitiba 

museu-oscar-niemeyer-curitiba

Museu Oscar Niemeyer – foto: Shutterstock

Inaugurado em 2002, o museu funciona em um edifício construído em 1978 (que, na época, era chamado de Edifício Presidente Humberto Castelo Branco) e um anexo chamado de Olho – ambos assinados pelo arquiteto. Atualmente, o endereço é dedicado à exposição de Artes Visuais, Arquitetura, Urbanismo & Design. No subsolo, há uma exposição permanente de projetos, fotos e maquetes de obras do arquiteto, batizado de Espaço Niemeyer.

Memorial da América Latina, São Paulo

memorial-america-latina

Memorial da América Latina – foto: Shutterstock

Concebido para promover a integração cultural, o memorial abriga sete edifícios distribuídos em duas praças que se interligam pela passarela sobre a avenida Auro Soares de Moura Andrade. A Praça Cívica destaca-se por abrigar a a escultura Mão, também de Niemeyer, que traz o mapa da América Latina como um ferimento sangrando – um símbolo do continente que até hoje luta por sua autonomia depois da colonização.

Compartilhar: