HomeDestinosGrindelwald, o retrato alpino

Grindelwald, o retrato alpino

Grindelwald, o retrato alpino

Entre Interlaken e Jungfrau, vale a pena fazer um pit stop nessa vila de esqui que é uma gracinha o ano todo

Por Cristiane Sinatura

Ainda não é hora de se enfadar das montanhas (se é que isso é possível). Grindelwald, uma vila de esqui muito charmosinha na região de Interlaken, vale a parada mesmo no verão por pelo menos três motivos. Primeiro: a tirolesa na montanha First. Um teleférico leva até lá em trajeto de 25 minutos, sobrevoando chalés de madeira e encarando a temível Face Norte da montanha Eiger – praticamente vertical, é um dos paredões mais difíceis e perigosos de escalar no mundo. Ao fim do teleférico, a tirolesa First Flyer tem 800 metros de extensão e 50 de altura, atingindo 84 km/h. A descrição parece mais radical do que a realidade, mas o frio na barriga é gostoso e a paisagem ao redor, lindíssima.

O segundo motivo é o retorno a Grindelwald: desça na primeira parada do teleférico e alugue uma Trottibike, bicicletinha que, sem pedais nem selim, demanda equilíbrio e controle de velocidade. Com ela, você chega ao vilarejo passando por uma estradinha cheia de curvas e de charme.

Agora,o terceiro motivo pode ser a parada de almoço: na avenida principal de Grindelwald, pegue um ônibus até Schwarzwaldalp (incluso no Swiss Pass) e prepare-se para um dos percursos mais bonitos que você verá em sua vida. No verão, encontrei gramados verdinhos, pinheiros, flores selvagens, pedaços dos Alpes despontando no horizonte, ciclistas, enormes celeiros de madeira e vacas de sino no pescoço. Passei meia hora absorta nesse cenário e poderia ter ficado mais, se Schwarzwaldalp (mas que nome, hein?) não estivesse logo ali. O lugarejo serve de ponto de partida para várias atividades na natureza, como as trilhas que, ao longo do rio Reichenbach, levam até o desfiladeiro da geleira Rosenlaui.

Compartilhar: